in

Vendas de computadores recuam 10%

As vendas mundiais de computadores terão recuado 10% no primeiro semestre, segundo as estimativas da Gartner e da IDC.

A Gartner contabiliza uma descida de 9,6% comparativamente ao trimestre homólogo de 2015, com as vendas a caírem para abaixo dos 65 milhões de unidades (64,8 milhões), pela primeira vez desde 2007. Já a IDC é mais pessimista e estima uma quebra de 11,5% e apenas 60,6 milhões de unidades vendidas.

Segundo Misako Kitagawa, analista na Gartner, na base deste desempenho negativo está o impacto da valorização do dólar e as incertezas políticas e económicas, particularmente no Brasil, que pesaram fortemente nas vendas na região da América Latina, que recuaram 32,4%. Além disso, o mercado de PC’s continua a ser canibalizado pela popularidade dos equipamentos móveis, como os tablets e os smartphones. “Os PC’s já não são adotados nos novos lares como anteriormente, sobretudo nos mercados emergentes, onde os smartphones são a prioridade”, sublinha a Gartner.

Do lado das empresas, a renovação do parque de equipamentos com a transição para o Windows 10 apenas deverá iniciar no final do ano.

A chinesa Lenovo continua a ser o primeiro fabricante mundial, de acordo com as duas consultoras. A Gartner atribui-lhe uma quota de 19,3% e a IDC de 20,1%, com as vendas a ultrapassarem os 12 milhões de unidades. Já a HP viu as suas vendas caírem 9% segundo a Gartner e 10,8% segundo a IDC, mas mantém a segunda posição, com mais de 11 milhões de unidades vendidas e uma quota de 17,6% segundo a Gartner e de 19,2% segundo a IDC. Na terceira posição figura a Dell, com 14,1% do mercado de acordo com a Gartner e 14,9% de acordo com a IDC.

O top 5 é encerrado pela ASUS e Apple. A IDC posiciona a marca da maçã na quarta posição, com 7,4% de quota face aos 7,2% da ASUS, mas a Gartner dá vantagem à marca de Taiwan, com 8,3% do mercado face aos 7,1% da Apple.

Publicidade

Publicidade

Alibaba compra operador de comércio eletrónico Lazada Group

Sector tecnológico perde 53 mil pontos de venda em seis anos