in

Terminais e centros de logística construídos de forma eficiente para atingir pegada zero

O desenho e construção de centros e terminais logísticos mais eficientes, alinhados com a proteção do meio ambiente, pode resultar numa poupança de energia considerável na atividade das grandes empresas. A DB Schenker integrou no seu compromisso de sustentabilidade e nas suas linhas de ação a projeção e construção de terminais e centros de consumo reduzido e baixas emissões de carbono, de forma a reduzir o impacto ambiental.

Graças ao uso de I+D para a implementação de soluções ECO nos seus centros de atividade, os novos terminais e escritórios urbanos da DB Schenker são praticamente neutros do ponto de vista ambiental e cumprem com os requisitos oficiais de eficiência energética. Entre outras medidas, a empresa equipa os seus centros de trabalho com iluminação LED, sistemas de poupança de recursos para o uso de águas pluviais, painéis solares e ventilação automática, assim como ventiladores controlados mediante pressão. Quanto aos materiais utilizados na sua conceção e posterior construção, o betão fresco, com uma pegada de carbono até 30% mais reduzida que o betão standard, é um dos mais recorrentes.

Em Portugal, a DB Schenker, no período de 2016 a 2018, reduziu o consumo de energia elétrica em 21,4% (kW/m2) e o consumo de água em 8% (m3/pessoa). Outro dos objetivos definidos para território nacional é garantir que, nos próximos dois anos, também 60% dos resíduos gerados são reciclados. “Cada vez mais cidades europeias impõem restrições ambientais às empresas e à circulação, como portagens ou a proibição de veículos a diesel nos centros urbanos. Da nossa perspetiva, existem muitas formas de reduzir o impacto ambiental causado pelas nossas ações e uma delas é projetar terminais e centros de trabalho de baixo consumo”, afirma Juan Carlos Moro, CEO da DB Schenker em Espanha e Portugal. “Já aderimos à corrente da eletromobilidade e é por isso que estamos a modificar gradualmente a nossa frota de veículos de distribuição e começámos a utilizar a bicicleta elétrica na última milha em alguns países europeus, como a França ou Noruega, assim como camiões elétricos em cidades como Paris, Milão ou Oslo. No entanto, é importante que os nossos centros de trabalho e armazéns, presentes em todo o mundo, estejam alinhados com a nossa estratégia global de sustentabilidade e cumpram com os mais altos critérios ecológicos”.

Nesta linha, entre outras ações, a empresa arrancou em Oslo com o seu primeiro centro de distribuição urbano com baixas emissões de carbono. Neste centro, a empresa assume o desafio de integrar a eletromobilidade com a projeção e construção de um centro ECO. Desta forma, a DB Schenker pretende reduzir as emissões de CO2 em até 80% na capital norueguesa.

Publicidade

Auchan desafia clientes a serem militantes deste Natal

Ljubomir Stanisic e Ricardo Costa assinam novos blends Delta Q