in ,

Tendência para um consumo consciente nos produtos de beleza e cuidados pessoais

Foto Shutterstock

A venda de produtos de beleza e cuidados pessoais cresceu 0,5%, a nível europeu, em 2018, num aumento moderado que se ficou a dever, essencialmente, à descida da marca de fabricante e à emergência de “pure players” caracterizados pelos fortes descontos. Assim o reflete um estudo elaborado pela IRI.

Entre os produtos de cuidados do cabelo, os designados de tratamento cresceram 0,6%, levando vantagem sobre os champôs (-0,2%), o que indica que os consumidores dedicam mais à reparação, nutrição e proteção do cabelo.

A preocupação dos consumidores quanto aos ingredientes dos produtos que adquirem para cuidados pessoas está patente no crescimento dos orgânicos e naturais, que no Reino Unido chegou aos 24%, alcançando vendas de 84,7 milhões de euros. De facto, metade dos compradores deste mercado adquire produtos que contam com ingredientes naturais. O coco, por exemplo, enquanto ingrediente nestes produtos, alcançou vendas de 33 milhões de euros na Alemanha (+162%), de 17,6 milhões de euros em França (+194%) e de 11 milhões de euros em Itália (+61%).

Apesar de existir uma tendência generalizada no sector do grande consumo para a compra a fornecedores locais, as marcas internacionais continuam a ser líderes nos cuidados pessoais e beleza, especialmente entre os Millennials, geração onde 65% dos compradores as preferem.

Outra das tendências que marcarão o futuro deste mercado é o desenvolvimento, por parte dos discounters, de marcas próprias e o aumento do número de marcas A a preços inferiores.

Publicidade

5 tendências que vão moldar o retalho em 2019

Puma e Maybelline New York lançam linha de maquilhagem