in

Signify incentiva a indústria a adotar diretrizes de segurança UV-C emitidas pela Global Lighting Association

Novas utilizações de UV-C contra Covid-19 devem ser seguidas, mas requerem vigilância

Para ir ao encontro da crescente procura por novas aplicações de desinfeção baseadas em UV-C e cumprir com os requisitos de segurança exigidos, a Signify contribuiu e adotou as diretrizes de segurança UV-C publicadas pela Global Lighting Association.

A empresa implementou essas diretrizes, em conjunto com outros padrões aplicáveis, à sua nova gama de soluções de desinfeção por UV-C.

No início deste ano, a Global Lighting Association reuniu especialistas do sector e desenvolveu diretrizes para ajudar os utilizadores e fabricantes a garantir que a tecnologia e os produtos UV-C sejam sempre utilizados com segurança. Estas diretrizes têm por base os princípios dos critérios aceites internacionalmente, como o IEC 62471, o critério de segurança fotobiológico, e recomendam garantias técnicas e processuais adicionais. “O tempo é essencial na luta contra a Covid-19. A iluminação UV-C oferece um meio de desinfeção rápido, poderoso e altamente eficaz. Também é comprovado que é seguro quando é projetado, instalado e utilizado de acordo com as instruções de segurança “, diz Olivia Qiu, diretora de inovação da Signify. “Ao adotar as diretrizes da Global Lighting Association, oferecemos um nível adicional de confiança na implementação segura das tecnologias UV-C. Pedimos que outros fabricantes sigam o exemplo e cumpram com estas novas diretrizes do sector”.

 

Diretrizes

Para além de terem por base os requisitos standard de irradiação e as classificações de grupos de risco para produtos UV-C, as diretrizes oferecem requisitos adicionais para salvaguardar as técnicas aplicáveis, como sejam a identificação de presença, o acesso controlado ou contenção, para além de orientações detalhadas sobre o uso de etiquetas de aviso, manuais de instruções e formações técnicas para o uso seguro da tecnologia UV-C.

A 16 de junho, a Signify e os Laboratórios Nacionais de Doenças Infeciosas Emergentes da Universidade de Boston confirmaram os resultados da pesquisa que validou a eficácia das fontes de luz UV-C na inativação do SARS-CoV-2, o vírus que causa a Covid-19.

Publicidade

Amazon

Vendas da Amazon aumentam 33,5%

Confiança

Portugal abaixo da média de confiança de líderes executivos mundiais