in

Reputação Interna de Portugal em ascensão

Desde 2016 que Portugal tem feito uma trajetória ascendente no seu índice de reputação interna, conquistando sucessivamente a confiança do público interno. A avaliação feita pelos portugueses traduz-se numa subida de 4,1 pontos em relação à pontuação obtida há três anos, que havia registado 58 pontos.

Esta subida é ainda mais expressiva se se considerar que, em 2013, este indicador registava 54,1 pontos. Assim, em 2019, o país consolida a sua posição num nível moderado e abre caminho para que os índices de subida se mantenham.

Estes são alguns dos dados do mais recente estudo da OnStrategy sobre a reputação de Portugal. Este ano, Portugal conquista, aos olhos do público interno, uma classificação geral de 62,1 pontos. Embora todas as dimensões tenham sofrido uma subida, é ao nível do ambiente governamental que se verifica um maior crescimento. Por outro lado, o ambiente económico foi o que menos alterações sofreu.

O estudo, que retrata a imagem e reputação de Portugal aos olhos dos portugueses, aborda três eixos fundamentais:  ambiente governamental, económico e social. O ambiente governamental, que pretende avaliar a ética, idoneidade e transparência dos representantes políticos, bem como as políticas sociais e económicas adotadas, é o eixo que apresenta a maior subida: a classificação subiu 4,7 pontos, em relação a 2016, passando de 39,3 para 44 pontos. No entanto, é também o eixo cujas dimensões têm avaliações mais baixas, todas situadas entre o fraco e o vulnerável.

No que se refere ao ambiente económico, que se foca na força e contribuição dos produtos e serviços nacionais para a economia nacional, na qualidade dos recursos humanos e nos avanços da tecnologia, os portugueses atribuíram a classificação de 63,9 pontos, um resultado superior aos 61,4 pontos de há três anos. Não surpreende, aliás, que a pontuação seja superior à alcançada em 2016, na medida em que a economia tem feito um caminho ascendente até este momento. Importa ainda referir que os portugueses mantêm a opinião positiva que tinham no passado quando questionados sobre a qualidade dos produtos e serviços nacionais (77,2 pontos).

Com uma reputação interna de 77,8 pontos (mais 3,5 pontos do que em 2016), o ambiente social do país é o que tem conquistado maiores elogios por parte de toda a amostra do estudo ao longo dos últimos anos, tendo atingido o grau “excelente” ou “robusto” em praticamente todas as questões. Nesta dimensão, que aborda temas como a segurança do país, a beleza, a familiaridade e a recetividade dos portugueses, apenas o ponto relacionado com o nível de vida ficou abaixo dos 70 pontos.

A reputação de um país, seja a nível interno ou externo, tem um impacto significativo nas intenções comportamentais e no seu desenvolvimento. A verdade é que Portugal já não precisa de apresentações e é um país virado para o mundo, o que se reflete também a nível interno. A pontuação tem vindo a melhorar todos os anos e a explicação reside no facto de os portugueses estarem mais confiantes no seu país do que no passado”, afirma Pedro Tavares, Partner e CEO da OnSrategy.

Este é um estudo que permite averiguar a visão que os portugueses têm do seu país, que continua positiva. Um dos sinais que melhor espelham esta perceção é o facto de os portugueses continuarem a apostar no turismo interno. Não é, aliás, por acaso que o turismo é um sector que vale já 13,7% do PIB, segundo dados do INE, e cujas receitas ultrapassaram os 16 milhões de euros, em 2018, uma subida de mais de um milhão face a 2017.

Fnac marca presença na ExpoFranchise 2019

Lidl Portugal promove novo mega stock-off