in

Região Demarcada do Moscatel de Setúbal comemora 110 anos

O Moscatel de Setúbal comemora, este ano, os 110 anos do reconhecimento da sua importância, que culminaram com a demarcação da sua região produtiva e a sua proteção legal.

Para celebrar esta efeméride, a Confraria do Moscatel de Setúbal irá promover, no dia 24 de novembro, o seu III Grande Capítulo, no Salão Nobre dos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Setúbal, onde serão entronizados novos confrades, que se comprometerão a defender, promover e valorizar o Moscatel de Setúbal.

Foi em 1907 que a Região Demarcada do Moscatel de Setúbal foi criada, tendo no ano seguinte sido regulamentada a disciplina de produção e comércio deste vinho generoso. Contudo, a história da sua produção está documentada desde o século XIII. Eram várias as cortes na Europa que consumiam com regularidade este licoroso. Em 1381, o Rei Ricardo II de Inglaterra mencionava a importação de Moscatel de Setúbal e no século XVII, Luís XIV, o Rei Sol, não o dispensava nas festas de Versalhes.

Na história mais recente, o Moscatel de Setúbal tem acrescentado prémios e distinções internacionais. Nos últimos anos, o pódio do prestigiado concurso francês “Muscats du Monde”,  que coloca à prova centenas de moscatéis de todo o mundo, tem invariavelmente os licorosos de Setúbal no top 10 dos mais pontuados e já viu por três vezes um Moscatel de Setúbal ou um Moscatel Roxo de Setúbal ganhar esta competição.

Para Henrique Soares, presidente da Comissão Vitivinícola da Península de Setúbal, “nas últimas duas décadas tem havido uma forte reestruturação e investimento nas vinhas e adegas da Península de Setúbal, o que tem permitido olhar para a produção de Moscatel de Setúbal com uma perspetiva mais generalizada de médio/longo prazo. Neste momento, a região conta com 19 produtores de Moscatel de Setúbal, sendo que quase todos também já produzem Moscatel Roxo de Setúbal (na transição do século XX para o atual só havia três produtores de Moscatel de Setúbal). Em 2016, estes produtores foram responsáveis pela certificação de 1.602.932,65 litros de vinhos com Denominação de Origem de Setúbal (Moscatel de Setúbal e Moscatel Roxo de Setúbal). Desde 2000, o crescimento acumulado registado pela CVRPS cifra-se em 60%. Este percentual traduz-se num aumento de 600 mil litros de vinho produzido e comercializado num espaço de 16 anos, o que dá um crescimento anualizado de 3,75% ao ano”.

Conheça um pouco mais da história do Moscatel de Setúbal:

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/VUt5kzBJfmw” frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>

Publicidade

Estudo da Nestlé revela confusão acerca do consumo de cereais integrais

Consumidores preferem entregas gratuitas a mais rápidas