Starbucks
in

Receitas da Starbucks caem 5%

A Starbucks reportou uma descida de 5% nas suas receitas consolidadas, para os seis mil milhões de dólares, no trimestre terminado em março, face ao período homólogo de 2019.

Este declínio foi atribuído pela cadeia de cafetarias à perda de vendas relacionada com o surto da Covid-19. “Desde o início desta crise global, a Starbucks tomou decisões para dar prioridade ao bem-estar dos seus colaboradores e clientes, apoiar as autoridades governamentais e de saúde e servir, de modo responsável, as comunidades. Esta abordagem baseada em princípios está a levar à sustentada melhoria do negócio na China, onde, ao dia de hoje, praticamente todas as lojas Starbucks reabriram com operações modificadas, novas lojas estão a abrir e o envolvimento com os clientes continua a crescer a cada semana”, afirma Kevin Johnson, CEO da Starbucks.

Estamos a recorrer à nossa experiência na China para implementar ações noutros mercados, incluindo os Estados Unidos da América, onde estamos a entrar agora numa fase de ‘monitorizar e adaptar’ para reabrir muitas mais lojas com os melhores protocolos se segurança. Continuamos a navegar esta situação dinâmica, que acreditamos ser temporária, e estamos confiantes que a Starbucks irá emergir desta crise global ainda mais forte do que anteriormente”.

 

Vendas like-for-like caem 10%
As vendas comparáveis caíram 10% face ao mesmo trimestre de 2019. Esta descida foi motivada pela queda de 13% nas transações comparáveis e parcialmente mitigada por um aumento de 4% no ticket médio. A nível internacional, as vendas comparáveis caíram 32%, impulsionadas por um declínio de 32% nas transações comparáveis. Só na China, as vendas comparáveis encolheram 50%.

Quase um quinto das empresas fechou portas

Quase um quinto das empresas fechou portas

vendas do Carrefour

Vendas do Carrefour sobem 3,3%