Cereais
Foto Shutterstock
in

Produção e consumo mundial de cereais em queda este ano

As perspetivas iniciais da produção global de cereais, em 2022, apontam agora para um declínio provável, o primeiro em quatro anos, para 2.784 milhões de toneladas, menos 16 milhões de toneladas do que a produção recorde estimada em 2021, de acordo com a nota informativa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Prevê-se que o milho sofra o maior declínio, seguido pelo trigo e pelo arroz, enquanto a produção de cevada e sorgo será suscetível de aumentar. A previsão baseia-se na situação das culturas já plantadas e nas intenções de plantação, em relação às que ainda não foram plantadas.

A FAO prevê também que a utilização mundial de cereais diminua marginalmente, em 2022/23, em 0,1%, a primeira contração em 20 anos. O declínio deve-se, principalmente, ao previsto declínio na utilização de trigo e arroz como ração, enquanto se espera que o consumo global de cereais na dieta aumente de acordo com as tendências demográficas globais.

 

Consumo mundial

Além disso, estima-se que o comércio mundial de cereais diminua 2,6% face ao nível de 2021/22, para 463 milhões de toneladas, o seu nível mais baixo em três anos, embora as perspetivas para o comércio internacional de arroz permaneçam positivas.

A nova previsão aponta para uma queda dos stocks, fazendo baixar a relação global stocks/utilização de cereais de 30,5%, em 2021/22, para 29,6%, em 2022/23. Embora este nível seja o mais baixo em nove anos, ainda está bem acima do mínimo de 21,4% de 2007/08. Espera-se que os stocks de milho sofram o maior declínio, enquanto que os stocks de trigo deverão aumentar.

A FAO também atualizou as suas estimativas para a produção mundial de cereais, em 2021, que se estima agora ser 0,9% superior ao ano anterior, e para a utilização de cereais em 2021/22, que se estima ser 1,1% superior.

Faisão Fusion Tonic

Faisão Fusion Tonic chega ao mercado

Auchan

Auchan chega a um novo país