Prioridades financeiras
Imagem Shutterstock
in

Prioridades financeiras dos portugueses afetadas pelo Covid-19

O novo coronavírus também veio alterar as prioridades financeiras de 78% dos portugueses, conclui um novo estudo do banco digital N26.

As preocupações com a saúde (55%) e a dos entes queridos (47%) são, ainda assim, prioritárias, seguidas pelas preocupações com a família (46%) e financeiras (38%) e ainda com a segurança do emprego (26%).

No entanto, a maior parte dos inquiridos portugueses (33%) admite, não estar a poupar mais do que antes desta crise. Aqueles que dizem estar a poupar mais dinheiro, neste momento, conseguem deixar de lado cerca de 146 euros por mês. “Todos vemos o impacto que o vírus Covid-19 tem tido na nossa rotina do quotidiano, mas talvez seja menos óbvio o enorme impacto que tem tido, também, nas nossas finanças quotidianas”, afirma Sarunas Legeckas, diretor geral Greater Europe da N26. “Este estudo demonstra claramente o stress e as preocupações financeiras trazidas por esta pandemia global e como os portugueses mudaram não apenas a sua forma de viver, mas também de realizar operações financeiras”.

 

Alterações nos hábitos de compra

85% dos inquiridos alteraram o tipo de compras que fazem mensalmente. O supermercado continua em primeiro lugar, mas os gastos com refeições fora de casa e a aquisição de roupa, anteriormente em segundo e terceiro lugares, são agora substituídos por serviços de streaming/subscrições e refeições take awayrespetivamente.

De agora em diante, 49% optará pelos pagamentos contacless, enquanto 25% admite que, “provavelmente”, também o fará.

Publicidade

Já se podem comprar BMW novos sem sair de casa

Já se podem comprar BMW novos sem sair de casa

qualidade e segurança

Qualidade e segurança podem bater preço na decisão do shopper