Portugal estreia-se hoje no Campeonato Europeu de Futebol e, para assinalar a entrada em campo da Seleção Nacional, a Grande Consumo propõe um conjunto de conteúdos alusivos ao tema. Veja algumas das melhores campanhas, conheça as várias ativações de marca e saiba que impacto económico este grande evento desportivo irá ter para o retalho, no consumo de algumas categorias e em retorno mediático para as marcas.

A opinião generalizada é que este vai ser o Euro mais mediático de todos os tempos, com um número recorde de equipas participantes: 24. Só a UEFA espera faturar 1.900 milhões de euros com a exploração comercial do torneio que se disputa até 10 de julho, mais 36,6% do que o conseguido com o Euro 2012.

Ao nível dos patrocínios, o objetivo era alcançar 400 milhões de euros e muito antes do arranque da competição foram cobertas todas as categorias. Adidas, Coca-Cola, Carlsberg, Orange, Continental, Hyundai-Kia e McDonald’s são repetentes, às quais se juntam, esta edição, a Turkish Airlines, a Socar, a companhia petrolífera estatal do Azarbeijão, e a Hisense, a primeira marca chinesa a patrocinar um campeonato europeu de futebol.

Em média, os jogos terão uma audiência de 150 milhões de espectadores. Em Portugal, os jogos serão transmitidos em Ultra HD pela RTP num novo canal, onde irão passar oito partidas: o jogo inaugural, os quartos de final, as meias-finais e a final.

E sabia que grande parte desta audiência será formada por mulheres? Segundo a Kantar Media, só no Reino Unido há 7,7 milhões de mulheres fãs de futebol, o que significa que 33% dos 23,1 milhões de fãs de futebol britânicos são do sexo feminino.

Este mesmo estudo alerta as marcas a olhar para além da audiência televisiva, já que os adeptos estão a usar cinco diferentes canais para seguir o campeonato. Além da televisão, online e redes sociais, rádio, imprensa escrita e “mobile” são pontos de interação com o consumidor.

Publicidade

Publicidade

7 grandes anúncios do Euro 2016

Software português exportado para 70 países