in

Pernod Ricard com crescimento de 7,8%

Foto Shutterstock

A Pernod Ricard fechou a primeira metade do ano de 2018/2019 com “os melhores (resultados) em quase uma década”, como salienta Alexandre Ricard, presidente e CEO do grupo francês. As vendas em valor cresceram 7,8%, para 5.185 milhões de euros.

Os mercados maduros, responsáveis por 56% das vendas mundiais do grupo, totalizaram 2.897 milhões de euros, valor que exprime um incremento de 1% face ao período homólogo. Os mercados emergentes somaram 2.288 milhões de euros em vendas, com um crescimento de 18%. Face ao período homólogo, estes mercados aumentaram em 3% o seu peso nas vendas globais da multinacional francesa, o que se deve ao especial dinamismo na China, Índia e África e Médio Oriente.

O lucro das operações recorrentes totalizou 1.654 milhões de euros, com um crescimento orgânico de 12,8%. O lucro líquido atingiu 1.105 milhões de euros, mais 11% que no período homólogo. A empresa fechou o primeiro semestre de atividade do ano 2018/2019 com um free cash flow de 585 milhões de euros, que traduz uma redução de 27% face ao mesmo período homólogo, justificada com investimentos no apoio ao crescimento do negócio.

O desempenho de vendas foi transversal ao portfólio da Pernod Ricard. As marcas internacionais estratégicas cresceram 10% face ao mesmo período de 2017/2018 e foram responsáveis por 65% das vendas globais. Destaque para o desempenho da Martell, que aumentou as vendas em 23%, e para o whiskey irlandês Jameson, que cresceu 8%. O segmento de whisky escocês apresenta uma forte aceleração, com um incremento global de vendas de 9% e desempenhos fortes de marcas como Chivas (+7%), Ballantine’s (+8%), The Glenlivet (+11%) ou Royal Salute (+15%).

As marcas estratégicas locais, que representam 19% das vendas do Grupo Pernod Ricard, apresentaram um incremento de 11%, tal como o novo segmento Specialty que agrega “marcas artesanais”, produzidas em pequena escala. Este segmento já representa 3% das vendas e reúne referências como Aberlour (crescimento de dois dígitos na Ásia e Resto do Mundo), Lillet (+38%) ou Monkey 47 (+21%).

Por regiões, destaque para as Américas, com um crescimento de 4%. Estes mercados são responsáveis por 27% das vendas globais da Pernod Ricard, com os Estados Unidos da América na liderança, com um incremento de 4% em linha com o mercado. No Brasil, as vendas do grupo francês cresceram 6%, superando o crescimento do mercado.

Na Ásia e resto do mundo, as vendas da Pernod Ricard apresentaram uma forte aceleração (+16%), graças ao desempenho na China e Índia. O mercado chinês cresceu 28%, beneficiando da antecipação do Ano Novo chinês (5 de fevereiro em 2019 versus 16 de fevereiro em 2018) e do forte crescimento de dois dígitos de marcas como Jameson, Absolut, The Glenlivet, Mumm, Jacob’s Creek, Martell e Chivas. Na Índia, o grupo consolidou a sua posição de liderança e cresceu 24% face ao período homólogo. Esta região representa 44% das vendas globais da Pernod Ricard.

A Europa teve um desempenho estável, com destaques positivos para o mercado russo, com um incremento de vendas de 7%, e para a Polónia, com um aumento de 6%, acima do crescimento do mercado. No entanto, os principais mercados na Europa Ocidental tiveram um desempenho contrastante. França registou um decréscimo de 3% nas vendas, devido a um ambiente deflacionário difícil e à pressão sobre as categorias de whisky e anis, enquanto em Espanha o declínio foi modesto (-2%) face à desaceleração do próprio mercado. O mercado europeu é responsável por 29% das vendas do grupo em valor.

Para a totalidade do ano 2018/2019, que termina a 30 de junho, a Pernod Ricard espera manter o bom crescimento de vendas, mas mais moderado (+5,6%). Contudo, o grupo atualiza as orientações fornecidas ao mercado a 29 de agosto de crescimento orgânico do lucro resultante das operações recorrentes entre 5% e 7% para uma orientação de crescimento entre 6% e 8%.

Publicidade

Publicidade

Luís Simões reforça aposta na automatização

Vivesoy alarga gama e formatos de bebidas vegetais no mercado português