in ,

PepsiCo anuncia nova meta de agricultura positiva

A PepsiCo anunciou uma nova meta da agricultura positiva, estabelecendo, como objetivos para 2030, difundir práticas agrícolas regenerativas em quase três milhões de hectares (quase 100% da sua pegada agrícola), para melhorar a forma de vida de mais de 250 mil pessoas na sua cadeia de abastecimento agrícola, fornecendo 100% dos seus principais ingredientes de forma sustentável.

A empresa estima que este esforço eliminará, pelo menos, três milhões de toneladas de emissões de gases de efeito estufa (GEE) até ao final da década. “Qualquer plano para enfrentar os desafios do sistema alimentar deve abordar a agricultura, fonte de alimentos de mil milhões de pessoas e a alavanca para enfrentar a mudança climática e a desigualdade”, afirma Ramón Laguarta, presidente e conselheiro delegado da PepsiCo. “Um sistema alimentar resiliente é essencial para o negócio e, com a nossa escala, temos oportunidade e responsabilidade em promover mudanças significativas. A agenda de Agricultura Positiva da PepsiCo dá prioridade ao investimento, inovação e colaboração com nossos parceiros agrícolas, para gerar impacto mundial“.

 

PepsiCo Portugal

Em Portugal, a agricultura local e a sustentabilidade tornaram-se prioridades para a PepsiCo. Em 2020, a empresa contribuiu para o sector agrícola português com a compra de mais de 28.500 toneladas de batata e 3.100 toneladas de amendoim.

Estamos convictos de que o sucesso do negócio depende de um sector agrícola bem sucedido e sustentável, por isso, trabalhamos junto dos agricultores locais, com quem mantemos uma relação de mais de 15 anos. Gerámos 516 empregos no país, investindo, anualmente, sete milhões de euros em matérias-primas agrícolas. Isto permite-nos abastecer o mercado português com mais de 27 mil toneladas de batata e frutos secos”, detalha Pol Codina, Country Manager de PepsiCo en Portugal.

A preocupação com a sustentabilidade dos recursos é uma questão diária na PepsiCo Portugal. Em 2020, a empresa investiu um total de oito milhões de euros na fábrica do Carregado, com o objetivo de melhorar o processo produtivo ao nível da sustentabilidade. Atualmente, 40% do total de água consumida na planta é reaproveitada. Até 2030, a meta é reduzir em 75% as emissões de gases de efeito estufa (GEE) nas suas operações diretas e indiretas em 40%.

 

Agricultura Positiva

A agenda de Agricultura Positiva da PepsiCo visa obter culturas e ingredientes através de práticas de agricultura regenerativa. Um exemplo disto é o Programa Semanal de Aconselhamento sobre Irrigação, que permitiu aos agricultores fazer uma gestão eficiente da água, com o cálculo preciso da irrigação ao nível da parcela e o aconselhamento de irrigação por mensagem (Whatsapp, SMS ou e-mail). Assim, os agricultores passaram de uma taxa de irrigação ótima de 48%, em 2017, para 93%, em 2020, tudo isto através da aplicação CropTrak, uma ferramenta Big Data exclusiva da PepsiCo que fornece informação ao agricultor para otimizar a sua exploração, contribuindo diretamente para a sustentabilidade agrícola.

Outro exemplo é o cultivo do amendoim, que se destaca pela capacidade de fixar nitrogénio e, portanto, reduzir em mais de 20% as necessidades de fertilização com nitrogénio para o ano seguinte. Através deste programa, em 2020, foram produzidas em Portugal cerca de 3.100 toneladas de amendoim.

A empresa também pretende melhorar os meios de subsistência de mais de 250 mil pessoas na sua cadeia de abastecimento agrícola e comunidades, focando no poder económico feminino. A PepsiCo focará nas comunidades agrícolas mais vulneráveis, ligadas à sua cadeia de valor, incluindo trabalhadores agrícolas, mulheres e agricultores minoritários. Através do Programa de Agricultura Sustentável, a PepsiCo partilha com eles conhecimento e práticas que melhoram a rentabilidade e produtividade.

Publicidade

Calçado

MO aumenta oferta e aposta em áreas dedicadas ao calçado

Super Bock Selecção 1927

Super Bock Selecção 1927 apresenta a nover cerveja Barrel Aged Blond Ale