in ,

Online cada vez mais importante na venda de saúde e beleza

Foto Shutterstock

Grandes operadores de e-commerce, incluindo a Amazon, o Alibaba, a JD.com e o Pinduoduo, irão representar dois terços (65%) do mercado online de saúde e beleza, entre 2020 e 2025.

O estudo da Edge by Ascential apurou que que a percentagem do online nas vendas deverá crescer para 16,5%, até ao final do ano. Em 2025, o online deverá representar 23,5% das vendas de saúde e beleza, mostrando a taxa de crescimento mais elevada a seguir às categorias de produtos para a casa e petcare.

O Alibaba deverá abarcar 43,2 mil milhões de dólares em vendas destes produtos, tornando-se no segundo maior mercado de e-commerce, a nível mundial, para a saúde e beleza. A Amazon irá alcançar os 28,8 mil milhões de dólares.

Efeito Covid

A pandemia de Covid-19 teve um impacto dramático nas vendas online de saúde e beleza. Só em maio, as vendas destes produtos listados na Amazon cresceram 141%. “Com a Covid-19 a aumentar a procura de produtos de saúde e beleza, muitos retalhistas estão a planear melhorar os serviços e linhas de produto online”, comenta Florence Wright, senior retail analyst na Edge by Ascential. “Contudo, com as department stores a caírem 10,9%, em 2020, mais marcas de beleza serão forçadas a diversificar e a focar o investimento no online, de modo a expandir o seu alcance e catalisar o crescimento”.

O estudo indica que a Walgreens Boots Alliance continuará a ser o maior retalhista de saúde e beleza, com vendas de 130,5 mil milhões de euros, considerando o online e o offline.

Publicidade

NATURNES Bio

NATURNES Bio lança gama 100% vegetal

Mercadona Ermesinde

Mercadona abre supermercado em Ermesinde na antiga Fábrica de Sá