in

Onde dominam os operadores de discount?

A Europa de Leste continua a ser terreno fértil para os operadores de discount, que aí conseguem uma quota de 27,4% das vendas de produtos de grande consumo.

Esta quota é 10 pontos maior do que era há 10 anos, segundo mostram os dados da Kantar Worldpanel, no seu estudo “New Omnichannel: Finding growth in reinvented retail”.

A Polónia é o país onde o discount assume um maior protagonismo, cerca de 28,5% das vendas, e muito por “culpa” da Biedronka, insígnia com que a portuguesa Jerónimo Martins opera no mercado polaco.

Berço deste conceito de retalho, a Alemanha é o segundo país onde o discount é mais representativo, ao alcançar uma quota de 23,3%. Itália, com 20,2%, Espanha, com 15,7%, e Portugal, com 15,6%, são também mercados onde estes operadores têm uma presença relevante a nível europeu.

A nível mundial, a quota do discount nas vendas de produtos de grande consumo é de 7%. Na América Latina, este conceito também goza de boa saúde, sobretudo na Colômbia (21%) e no México (28,8%). No Brasil, onde os preços dos hipermercados são similares aos destas lojas, a sua quota não ultrapassa os 1,6%, até porque o foco está mais colocado no cash & carry do que no discount.

A Kantar Worldpanel salienta que se deve atentar a como evolui este canal nos Estados Unidos da América, no seguimento da recente entrada do Lidl e do investimento previsto pelo Aldi. Atualmente, a quota é de 4,6%.

A região da Ásia é aquela onde o discount tem uma presença mais reduzida. Só no Japão tem alguma participação de mercado, cerca de 5,4%.

Publicidade

Publicidade

Grupo Amorim investe no Dão

Heineken aposta na cerveja artesanal