in

Moda será um dos sectores mais afetados pela pandemia Covid-19

Um dos sectores mais afetados pela pandemia causada pelo novo coronavírus será o da moda, indica um novo estudo da Moody’s.

As lojas foram forçadas a fechar e a coleção de primavera arrisca-se a não ser vendida. Além disso, algumas cadeias não irão gerar receitas suficientes para comprar as coleções de outono. Geralmente, os meses de março e abril são dos mais importantes para os retalhistas de moda e e-commerce não será suficiente para compensar a perda de receitas gerada pelos encerramentos.

A cadeia de abastecimento também está em dificuldades. As empresas chinesas estiveram encerradas alguns meses e, apesar da produção estar a arrancar, os mercados ocidentais estão agora paradas. Os grandes lançamentos de moda foram canceladas, as fábricas europeias de marcas como Hermès e Chanel foram encerradas e cada vez mais fronteiras são fechadas. No caso de ainda haver alguma procura residual, esta não terá resposta devido aos problemas logísticos.

Na altura em que os consumidores começarem a comprar novamente, as coleções de primavera estarão desatualizadas, deixando os retalhistas com um enorme stock que não conseguirão vender, o que está a potencial já os grandes descontos na Internet. A Burberry, por exemplo, receia uma descida na sua receita mensal de 80%.

IKEA disponibiliza 26 milhões de euros para proteger afetados pelo coronavírus

Grupo GP fabrica ecrãs de proteção contra o coronavírus