in

81% dos europeus querem que as marcas implementem programas de sustentabilidade

Foto Shutterstock

A Nielsen apresentou o relatório “Evolving Sustainability” e delineia o impacto das preocupações em torno da sustentabilidade para o consumo na Europa Ocidental. O cenário traçado é de enormes consequências, particularmente associadas à utilização de plástico: produz-se anualmente mais plástico do que o peso conjunto da população global e, até 2050, é esperada uma maior quantidade de plástico do que de peixe nos oceanos.

Com efeito, 81% dos consumidores europeus abordados no estudo da Nielsen afirmam que é muito importante que as marcas implementem programas que melhorem o meio ambiente. Existem, contudo, distintos graus de preocupação com este tipo de questões entre os consumidores europeus. A idade é um dos fatores determinantes: 85% dos Millennials (21 a 34 anos) afirmam firmemente que as empresas devem empenhar-se em melhorar o ambiente, contra 72% dos Baby Boomers (50 a 64 anos) e 65% da Silent Generation (mais de 65 anos).

A sustentabilidade chegou ao consumo e as exigências são cada vez mais alargadas. Na Europa, segundo este relatório da Nielsen, os consumidores assumem que variáveis como a responsabilidade social da marca, o carácter reutilizável/reciclável das embalagens e a transparência da informação impactam a sua decisão de compra ou experimentação, incentivando a inovação.

Para além disso, a sustentabilidade poderá estar muitas vezes relacionada com valores premium, com 30% a 40% dos consumidores europeus a afirmar que estão dispostos a pagar um preço elevado por produtos que cumpram determinadas normas sustentáveis.

Em Portugal, o cenário é semelhante e acompanha as tendências globais mais emergentes: 85% dos portugueses assumem que o suporte das empresas a causas ambientais impacta a sua decisão de compra. São, por isso, várias as oportunidades que se abrem às marcas face a este desafio. A capacidade para implementar iniciativas sustentáveis vai impulsionar o crescimento de vários mercados, à medida que cresce a procura por uma oferta que responda a este tipo de preocupações e que as marcas locais fazem uso desta tendência para potenciar as suas vendas. Esta é também uma oportunidade única para a inovação, visto que constitui um enorme fator de experimentação de novas marcas ou produtos”, explica Ana Paula Barbosa, Retailer Vertical Director da Nielsen Portugal. “Neste contexto, a influência das marcas sustentáveis vai aumentar, à medida que as marcas continuam a implementar esforços na sustentabilidade, o sector público reconhece empresas que contribuem para esta mudança e os consumidores recompensam as marcas que os deixam a si, às suas famílias e ao mundo mais seguros”, conclui.

Publicidade

Publicidade

Como abrir um Franchising em 10 passos?

CTT recebem Prémio de Excelência Logística 2019