in

Mais de metade dos portugueses já faz compras online e o preço é o fator mais decisivo na escolha das lojas

Hábitos de compra online em Portugal mais do que duplicaram ao longo da última década

Fotos Shutterstock

4,8 milhões de portugueses assumem comprar produtos através de plataformas digitais e 42% já o faz pelo menos uma vez por mês. O universo de portugueses que faz compras online não para de crescer e atingiu já a fasquia de 56,8% da população com mais de 15 anos residente em Portugal Continental, indica o Barómetro E-commerce da Marktest.

Mas este novo hábito no ambiente digital não está a mudar uma premissa antiga do mundo offline: o preço dos produtos continua a ser o fator mais importante para os consumidores escolherem as lojas de e-commerce onde fazem as suas compras. O estudo, cuja primeira vaga contou com entrevistas a 2.262 indivíduos, realizadas entre março e maio de 2021, revela que ter preços mais baixos foi o fator indicado por 58,4% dos inquiridos como decisivo para a escolha das lojas online.

Um volume consideravelmente superior ao registado por outros fatores considerados para a escolha das lojas online, como a disponibilidade do artigo (33,2%), conhecer a marca (31,7%), os métodos de pagamento utilizados (30,3%) ou as boas avaliações dos utilizadores (30%).

 

Diferenças

O barómetro da Marktest revela, ainda, algumas diferenças entre homens e mulheres nesta apreciação: se, para as mulheres, a familiaridade e os métodos de pagamento são os fatores imediatamente seguintes aos preços, já para os homens são mais importantes a disponibilidade dos artigos e as boas avaliações de utilizadores.

A primeira vaga do Barómetro E-commerce concluiu o número de portugueses que compram produtos online mais do que duplicou o total de 2010. Do total de portugueses que, hoje, assumem fazer compras online, são já 12,1% os que admitem efetuar compras online, pelo menos, uma vez por semana.

Publicidade

Johnson & Johnson

Johnson & Johnson recolhe protetores solares após deteção de cancerígeno

Coca-Cola

Vendas da Coca-Cola crescem 22%