in

Maersk suspende temporariamente o transporte de contentores para a Rússia

Foto Mariusz Bugno/Shutterstock.com

A Maersk comunicou a suspensão temporária do transporte marítimo, aéreo e ferroviário intercontinental de e para a Rússia, com exceção de alimentos, produtos médicos e humanitários. Começou em 1 de março e cobrirá todos os portos de entrada russos.

Dado que a estabilidade e a segurança das nossas operações já estão a ser afetadas direta e indiretamente pelas sanções, devemos tomar esta decisão”, aponta a empresa. “Estamos profundamente preocupados com a forma como a crise continua a aumentar na Ucrânia. Estamos a monitorizar de perto a situação em constante evolução, com os governos a levantar novas sanções contra a Rússia e a fazer ajustes regulares na lista de restrições. Com isso em mente, vemos agora a clara necessidade de estabelecer novos e rever processos existentes de aceitação e gestão de reservas“.

A Maersk garante que é fundamental minimizar a interrupção da cadeia de abastecimento e não aumentar o congestionamento global em portos e armazéns, para cargas que já estão a caminho e reservas feitas antes desta suspensão ser anunciada. “Todas as decisões que tomámos durante esta crise foram feitas com a segurança dos funcionários da Maersk e das cadeias de abastecimento dos clientes em mente e essas continuarão a ser as nossas principais prioridades, à luz dos últimos desenvolvimentos. Também continuaremos a implementar planos para que todos os funcionários afetados e as suas famílias recebam o apoio necessário“.

 

Sanções

A transportadora afirma estar em constante contacto com as alfândegas e autoridades portuárias locais para agilizar a libertação de todas as mercadorias não afetadas por sanções e controlos de exportação, priorizando produtos humanitários como alimentos, medicamentos, higiene e cuidados pessoais. Espera-se que os atrasos tenham um efeito cascata em toda a rede oceânica regional, levando a mais atrasos e congestionamentos.

“Como a Maersk atua em total conformidade com os regulamentos legais e as suas políticas, não podemos receber ou fazer pagamentos a nenhum banco russo sancionado ou qualquer outra parte sancionada. Continuaremos a monitorizar a situação e a analisar os impactos das sanções, com a ambição de estabilizar as operações o mais rápido possível”.

DPDgroup

Receita do DPDgroup cresce 14,8% em 2021

Amazon Aware

Amazon lança marca própria sustentável