in

Logística portuguesa para o e-commerce precisa de mais “players” e competitividade

A cadeia de valor no mercado nacional de logística mostra que “não existem ‘players’ suficientes” vocacionados para as necessidades atuais do e-commerce português, o que o torna “pouco competitivo”.

Não obstante, as empresas portuguesas “estão em franca transformação digital”, desde a “desmaterialização de processos, ao investimento em tecnologia, abertura de lojas online e marcas ‘direct to consumer’”, e o sector retalhista, sintonizado com o formato de venda em omnicanal, “já integra claramente – e bem, em muitos casos – produtos, processos e pessoas entre o online e offline”.

A análise é de Vera Maia, mentora da plataforma Tudo sobre eCommerce, uma das consultoras de referência no desenvolvimento de projetos de comércio eletrónico em Portugal, também com clientes no estrangeiro, em contexto de arranque organizativo da conferência Tudo sobre eCommerce 2020, jornada de reflexão sectorial que tem recebido crescente interesse de profissionais ligados aos segmentos de logística e transportes de várias empresas.

A terceira edição está agendada para 18 de abril próximo, no Auditório da Ordem dos Contabilistas Certificados, no Porto, e procurará ir ao encontro de um dos maiores anseios dos “marketers” e demais técnicos da área: como otimizar a conversão em ecommerce.

Se a logística portuguesa orientada para o comércio eletrónico carece de mais operadores e concorrência, em quantidade e qualidade, ao ponto de “mais de 95% das empresas com as quais a consultora Tudo Sobre eCommerce trabalha optarem por desenvolver a sua logística internamente”, para Vera Maia, o caso muda de figura no sector dos transportes. “A oferta é bastante elevada, tanto em transportadoras que operam em solo nacional como internacional, terrestre e aéreo, e os valores são cada vez mais competitivos. Comparando com o Brasil e a América Latina, temos muita facilidade de integração com as transportadoras e, ainda, uma oferta bastante variada“, argumenta.

Conferência Tudo Sobre eCommerce

A iniciativa coloca em agenda fórmulas vencedoras e intervenções práticas, frequentemente em formato de “case studies”, com dicas e estratégias que podem ser adaptáveis no terreno pelos profissionais do sector.

Conferência TSE 2019

Da primeira para a segunda edição, a conferência cresceu 125% em número de participantes (450 em 2019). E foi também por isso que o palco do acontecimento mudou para o Auditório da Ordem dos Contabilistas Certificados, com uma capacidade total de 1.150 lugares (600 em plateia).

Até ao momento, o acontecimento confirmou já três oradores, um nacional e dois internacionais. No primeiro caso, trata-se de Samuel Costa Marques, Head of Ecommerce & Marketing da PROF Shoes, que em 2019 viu o crescimento do negócio eletrónico desta conhecida marca portuguesa retalhista de calçado mais do que duplicar face à média dos últimos três anos.

Outro dos nomes em carteira é David Tomás, CEO da Cyberclick (marketing digital e tecnologia), considerada já por duas vezes como uma das melhores empresas para trabalhar em Espanha. O empresário é reconhecido como o primeiro “Diretor para a Felicidade” empresarial no país vizinho e foi tido como um dos empreendedores com menos de 40 anos de maior influência local.

O alemão Chris Erthel é o terceiro conferencista já confirmado pela organização. Trata-se de um dos fundadores e estrategas que fez a marca de acessórios de moda Meller surgir do nada para estar a faturar cerca de 10 milhões, em apenas cinco anos. O perito digital é agora também consultor pro bono da Organização das Nações Unidas, com o objetivo de fazer escalar mundialmente o programa que está por detrás da aplicação ShareTheMeal.

Os bilhetes para a conferência, que comportará um total de nove palestras, já estão à venda e podem ser adquiridos em https://www.conftse.com/.

Publicidade

Publicidade

Gallo arranca 2020 com gama Seleção de Portugal

DHL Express inaugura novo Service Center no Algarve