in

JCPenney sai de insolvência

Foto rblfmr/Shutterstock

Seis meses após ter declarado insolvência, JCPenney anunciou o regresso à normalidade.

É um dia emocionante para a nossa empresa, já que alcançámos o objetivo de pôr a JCPenney num caminho seguro para o futuro como empresa privada, para que possamos continuar a servir os nossos clientes leais”, comenta Jill Soltau, CEO da cadeia de grandes armazéns.

A saída do chamado Capítulo 11, conforme a legislação norte-americana nesta matéria, foi possível graças à venda da totalidade dos ativos de retalho e operacionais ao Simon Property Group e à Brookfield Asset Management. Com a conclusão da venda, a JCPenney assegura o acesso a um novo financiamento de 1.240 milhões de euros.

 

Plano de renovação

Jill Soltau avança que, a partir de agora, começando na época de Natal, a insígnia irá centrar-se na implementação do seu plano de renovação, “para oferecer produtos convincentes, impulsionar o tráfego, entregar uma experiência atrativa, impulsionar o crescimento e construir uma cultura orientada para os resultados”.

Os novos acionistas destacam que o negócio veio permitir preservar uma instituição icónica, salvar dezenas de milhar de postos de trabalho e continuar a servir mais de 35 milhões de clientes.

Publicidade

Plant & Bean

Plant & Bean constrói a maior unidade de produção europeia de carne de origem vegetal

Delfim Santos, vice-presidente de New Business Development, e Nuno Santos, vice-presidente de Marketing & Strategy da Daymon

“Enquanto houver retalho e enquanto houver consumidor, vai haver marca própria”