in

Donos da JC Penney fazem oferta de compra da Kohl’s

Foto Felipe Sanchez/Shutterstock

Os proprietários da JC Penney, Simon Property Group e Brookfield Asset Management estão a tentar a compra, pelo valor de 8,6 mil milhões de dólares, cerca de 8,06 mil milhões de euros, da Kohl’s, de acordo com a Bloomberg.

Ambos os fundos de investimento ofereceram 68 dólares, cerca de 63,71 euros, por ação. Na sequência das notícias, os títulos da cadeia de department stores aumentaram 4,5%.

A Kohl’s contratou o Goldman Sachs para gerir a venda da empresa. Nos últimos meses, tem sido alvo de várias ofertas de compra. Uma deles foi a do grupo canadiano Hudson’s Bay, em março passado, que foi rejeitada. O fundo Acacia Research também fez uma oferta de compra pelo preço de 64 dólares por ação, mas também foi recusada por ter sido considerada muito baixa. As ações da Kohl não são negociadas acima dos 65 dólares há quase três anos.

 

Alternativas estratégicas

Em dezembro passado, o fundo Engine Capital LP, que controla cerca de 1% do capital da Kohl’s, exigiu que o grupo estabelecesse alternativas às suas estratégias e instou a empresa de grandes armazéns a desviar o seu negócio das vendas físicas para o online, como outros grupos tinham feito anteriormente.

Além disso, a empresa também enfrenta os investidores ativistas, que procuram redirecionar a sua estratégia. Um deles é o fundo norte-americano Macellum, que controla cerca de 5% do capital e que procura remodelar o conselho de administração para impulsionar o seu crescimento.

A Kohl’s fechou o exercício de 2021, terminado em 29 de janeiro, com vendas de 19.433 milhões de dólares, cerca de 18.205,92 milhões de euros, o que representou um crescimento homólogo de 21,8%. Ainda assim, a empresa continua 2,9% abaixo dos níveis pré-pandemia. O lucro da empresa situou-se em 938 milhões de dólares, cerca de 878,77 milhões de euros, face aos prejuízos de 163 milhões de dólares, cerca de 152,71 milhões de euros, em 2020, e a 35,7% superiores aos resultados de 2019.

Nescafé

Nescafé abre o primeiro quiosque no Porto

E-commerce

Gigantes do comércio eletrónico aumentaram as suas vendas em 63% na pandemia