in

Indústria de cosmética vai desenvolver novo sistema de avaliação de impacto ambiental

Foto Shutterstock

A Henkel, a L’Oréal, a LVMH, a Natura &Co e a Unilever estão a unir esforços para desenvolver um sistema de avaliação de impacto ambiental para produtos de beleza, semelhante ao Eco-Score.

As cinco gigantes da cosmética querem criar um sistema transversal assente numa metodologia baseada na ciência. O objetivo é fornecer aos consumidores informações claras, transparentes e comparáveis sobre o impacto ecológico de um produto, tendo em conta todo o seu ciclo de vida.

O sistema voluntário seria construído em torno de quatro princípios básicos: uma metodologia partilhada para medir os impactos ambientais, ao longo do ciclo de vida do produto, uma base de dados partilhada dos efeitos ambientais para ingredientes padrão e matérias-primas, uma ferramenta partilhada para o cálculo do impacto ambiental por produto e um sistema de pontuação alinhado, que permite aos consumidores fazer comparações facilmente.

Os cinco parceiros querem também envolver cientistas externos, académicos e organizações não governamentais, durante todo o processo de desenvolvimento, para garantir a integridade do processo e esperam também que o maior número possível de empresas de cosméticos se junte à iniciativa.

 

Transparência

O novo sistema de avaliação e pontuação terá como objetivo responder à crescente procura dos consumidores por uma maior transparência sobre o impacto ambiental dos produtos cosméticos – fórmula, embalagem e utilização. O objetivo é melhorar a informação que está disponível para os consumidores e permitir-lhes fazer escolhas de consumo mais sustentáveis“, refere o consórcio.

A abordagem parece inspirar-se fortemente no Eco-Score, desenvolvido em França, utilizando uma combinação de letras e cores para informar os consumidores obre o impacto ambiental de um produto alimentar.

Publicidade

Nova colheita de J de José de Sousa 2017

cartões SIM

NOS produz cartões SIM em plástico 100% reciclado