in ,

Incrementar a frequência da visita será fundamental para a recuperação do sector da restauração

Um dos sectores mais prejudicados pelas consequências da Covid-19 foi a restauração, que se teve de reinventar para fazer face a todas as mudanças trazidas pela pandemia, algumas das quais permanecerão no chamado “novo normal”.

Este tema foi abordado pela Kantar num novo estudo realizado em Espanha, segundo o qual, em 2020, a restauração caiu 39,6%. Os canais “on the go” e “on premise” foram afetados pela pandemia, com um desempenho de -26,7% e de -44,9% comparativamente com 2019, respetivamente.

Apesar de negativo, este desempenho teria sido ainda pior de a restauração não tivesse contado com alternativas e o take-away. Nesse cenário, diz a Kantar, a queda teria sido de 45%, com as perdas a ascenderem a mais 400 milhões de euros.

 

Delivery cresce 66%

O delivery cresceu 66% e o take-away 13,1%. Juntos aumentaram o seu valor em 27,3%, face ao ano anterior, chegando a mais compradores que recorrem, também com maior frequência, a estes canais, incrementado os seus gastos.

O delivery ganhou quota, passando a ter uma penetração de 35% a 44,1% dos espanhóis, potenciando, ainda, a criação de mais estabelecimentos direcionados. O aumento do delivery também gerou uma transformação do serviço para se adaptar às novas tendências, originando a criação de experiências gourmet fora dos restaurantes, a ascensão das “dark kitchens” e a transformação digital da restauração, mediante pagamentos através dos dispositivos móveis, menus com códigos QR, pedidos remotos e reservas online.

No que concerne o pronto-a-comer, houve uma transferência de fora (-23,3%) para dentro do lar (4,4%), assinalando-se o crescimento de retalhistas como a Mercadona, o Carrefour e o Lidl.

 

2021

Finalmente, o consumo nos restaurantes, apesar de nove em cada 10 espanhóis ter voltado a comer fora, reduziu em 50% as visitas. A Kantar indica que a restauração ressurgirá com o fim das restrições, mas será muito importante a fidelização do consumidor, através da inovação. “A experiência no restaurante será um dos aspetos essenciais para fidelizar o consumidor, maximizar as suas visitas e garantir uma recuperação mais rápida. Os restaurantes necessitarão de continuar a desenvolver o delivery e o take-away para aproveitar o hábito gerado durante a pandemia e recuperar o mais rápido possível. Uma vez regressados à normalidade, os retalhistas também terão oportunidade de continuar a crescer com o pronto-a-comer”, afirma Maria Josep Martínez, Expert Solutions Director na Worldpanel Division.

Espanha é, juntamente com o Reino Unido e a França, um dos países com maior oportunidade para o delivery, uma vez que ainda existe margem de crescimento para este hábito, ainda não muito enraizado entre os espanhóis, mas os quais se mostram satisfeitos. “A oportunidade do sector reside numa melhor experiência ‘homemade’, na diversificação do sortido, na melhoria da relação qualidade/preço e na contínua transformação digital”, conclui.

Publicidade

Adega de Vidigueira aumenta capacidade produtiva

CeraVe_Cleansers

64% das pessoas mudou as suas rotinas de limpeza de pele no último ano