in

illycaffè lança nova coleção de peças desenhadas por Ai Weiwei

illycaffè
19756 iAC Ai Weiwei

A illycaffè apresentou uma nova coleção de chávenas exclusivas desenhadas pelo artista chinês Ai Weiwei, um dos mais influentes do mundo, que estará disponível a partir do dia 19 de maio.

A linha illy Art Collection foi inspirada na famosa obra Coloured Vases de 2006, em que o artista usava vasos da dinastia Han e mergulhava-os em latas de tinta industrial para remodelar a sua aparência e modificar a sua função. A ideia era pegar em objetos comuns do dia e transformá-los em obras de arte.

O projeto com Ai Weiwei é um evento excecional que celebramos com uma illy Art Collection particularmente valiosa e refinada“, destaca Massimiliano Pogliani, CEO da illycaffè. “Com uma grande personalidade, que teve um impacto enorme na cultura nos últimos anos, ao falar sobre a complexidade da sociedade contemporânea, muitas vezes ironicamente, temos uma ilusão de ótica, uma beleza oculta que se manifesta se aprendermos a ver sem o erro de utilizar uma única perspetiva. Para nós, isso é o que o projeto illy Art Collection é: arte que fornece uma visão através da beleza,e a arte de Ai Weiwei é a nova e brilhante evidência disso”, acrescentou Pogliani.

 

Ai Weiwei

“Para te expressares precisas de um motivo, mas expressares-te é o motivo” é a síntese  entre a biografia e a prática artística de Ai Weiwei, tão intimamente ligada a um caminho que o levou a converter-se num artista concetual, escultor, pintor, performer, fotógrafo, arquiteto e urbanista, colecionista, diretor, ator, músico, escritor e editor, blogger e profissional da selfie, jornalista de investigação, ativista de direitos humanos e dissidente.

Estou muito feliz por fazer parte da illy Art Collection. Acredito que é importante dar poder à arte e ao design enquanto bebemos um bom café, porque isso afeta a vida de todos. Temos de aproveitar”, destaca Ai Weiwei.

Danone

Danone renova imagem da gama e apresenta novos produtos

férias

86% passa férias de verão em Portugal e gasta, em média, 750 euros