in

Garland cria departamento de sustentabilidade

Com o objetivo de dar continuidade a um conjunto de medidas para reduzir a sua pegada ambiental, o Grupo Garland, um dos principais operadores Portugal no sector de transportes, logística e navegação, criou um departamento interno dedicado à sustentabilidade.

O novo departamento terá como foco coordenar e implementar as políticas de sustentabilidade do grupo, assim como gerir os projetos nesta área, transversais a toda a empresa. “Estamos convictos de que o novo departamento de sustentabilidade será uma mais-valia importante para a Garland. Passaremos a ter um foco interno ainda maior nestas temáticas, contando com profissionais especializados com bastante experiência e provas dadas neste âmbito, reunindo-se, assim, as condições para se poder implementar um programa de sustentabilidade ambicioso e de elevado compromisso para o grupo”, refere Mark Dawson, CEO do Grupo Garland.

 

Iniciativas

O primeiro projeto do novo departamento centra-se na obtenção da certificação ISO 14.001, norma internacional que permite às empresas demonstrar o compromisso assumido com a proteção do ambiente, através da gestão dos riscos ambientais associados à atividade desenvolvida.

Recentemente, a Garland Logistics, empresa do grupo dedicada às operações de logística de armazém, distribuição e e-commerce, foi premiada com a medalha de prata da EcoVadis, plataforma que avalia, a cada ano, 65 mil empresas de 160 países pelas suas práticas sustentáveis.

Outra empresa do grupo, a Garland Transport Solutions, integra a Ecco Network, a primeira rede de transportes internacionais de operadores transitários que partilham a sustentabilidade, a inovação e a tecnologia de última geração como valores. A rede reúne mais de quatro mil rotas e já conseguiu reduzir a emissão de mais de 90 mil toneladas de CO2. Enquanto integrante da Ecco Network, a Garland Transport Solutions tem acesso a uma plataforma digital que calcula a pegada ecológica e ajuda a reduzir a emissão de CO2 na atividade transitária.

Estamos convictos de que o novo departamento de sustentabilidade será uma mais-valia importante para a Garland. Passaremos a ter um foco interno ainda maior nestas temáticas, contando com profissionais especializados com bastante experiência e provas dadas neste âmbito, reunindo-se, assim, as condições para se poder implementar um programa de sustentabilidade ambicioso e de elevado compromisso para o grupo”, refere Mark Dawson, CEO do Grupo Garland.

 

Rumo à Sustentabilidade

Nos últimos anos, a Garland tem reforçado as medidas com vista à redução do seu impacto ambiental, como o uso racional de água e energia elétrica e a redução ao mínimo indispensável da utilização de papel nos serviços corporativos e em todas as áreas de negócio do grupo.  Para este efeito, foi implementado um sistema informatizado de gestão documental, que permitiu uma drástica redução de utilização de papel e uma consequente poupança anual dos respetivos consumíveis de impressão, na ordem dos 50%. O grupo está a ainda a instalar painéis solares em todos os seus centros, dispondo atualmente de um total de 638 painéis solares, com 175,1 KW de capacidade instalada. Além da energia elétrica produzida para autoconsumo, a Garland Logistics utiliza em todos os seus centros logísticos energia proveniente de fontes 100% renováveis.

Outra decisão foi a erradicação de plásticos de uso único em máquinas de vending e no abastecimento de água e cafés aos colaboradores, aos quais distribuiu garrafas e copos reutilizáveis.

Na estratégia Rumo à Sustentabilidade, também a mobilidade tem sido aposta, com a Garland a renovar totalmente a sua frota de viaturas ligeiras, promovendo a sua substituição por veículos elétricos e híbridos. Atualmente, todas as instalações da empresa contam com postos de carregamento elétrico.

A reciclagem total de resíduos, como cartão, papel, plástico e madeira, é já uma prática instituída há vários anos em todos os centros logísticos do grupo.

Também a mais recente construção de um armazém próprio em Vila Nova de Gaia, com área coberta de 38 mil metros quadrados, respeitará as diretrizes ambientais mais exigentes, visando a obtenção da certificação BREEAM/Very Good, que será a primeira em Portugal em novos edifícios logísticos.

Das diversas iniciativas verdes que têm sido implementadas nos últimos anos pela empresa, destaque para a mais recente, com a Garland a juntar-se à Tree-Nation, organização não governamental líder internacional em reflorestação, para uma iniciativa na qual o grupo criou uma Floresta Garland na Amazónia, onde começa por ter mais de 600 árvores, captando cerca de 140 toneladas de CO2.

Publicidade

Caminhos Cruzados lança primeiro vinho da vindima de 2021

Redes sociais

Facebook é a rede social que os portugueses mais estão a abandonar