in

Empilhadores contrapesados Linde incluem a nova solução Li-Ion

Os empilhadores contrapesados elétricos com bateria de iões de lítio da Linde Material Handling já estão à disposição dos clientes da marca.

A principal novidade desta tecnologia é a sua maior autonomia energética, especialmente nas operações com múltiplos turnos. Isto deve-se à maior densidade e eficiência das baterias, além da sua possibilidade de carga parcial em qualquer momento. Estas melhorias garantem um período de atividade significativamente maior.

Cada modelo de empilhador, dentro da gama de carga de entre 1,4 e 1,8 toneladas, conta com dois tipos de bateria, um com maior capacidade que o outro. O responsável de produto da Linde, Daniel Butte, garante que as baterias mais pequenas só necessitam de uma carga temporária para funcionar a pleno rendimento. No caso das Linde E14 e E16 C (modelo compacto), estas têm uma capacidade de 13,1 kWh, enquanto os modelos maiores de três rodas, Linde E16 e E18, e os de quatro rodas, E16 P, contam com uma capacidade de 16,3 kWh. No entanto, é aconselhável utilizar as baterias superiores de 39,2 e 45,7 kWh se as condições de trabalho exigirem um rendimento superior ou se os empilhadores tenham de operar durante mais do que dois turnos. A Linde também disponibiliza dois carregadores de diferentes capacidades. “A potência do carregador e a capacidade da bateria determinam o tempo de carga“, explica Daniel Butte. “O carregador maior necessita de cerca de 50 minutos para carregar completamente uma bateria plana de pequena capacidade. Carregar uma bateria de máxima capacidade com um carregador pequeno requer seis horas“.

Os clientes da Linde que adquiram equipamentos da gama Linde E14 a E18 ION receberão o sistema completo certificado pela CE do empilhador e da bateria, que se ajusta aos requisitos necessários para a sua aplicação, além do carregador da Linde. Desta forma, terão tudo o que é necessário para explorar esta tecnologia de bateria a 100 %.

A Linde garante 2.500 ciclos completos de carga com uma capacidade remanescente da bateria de pelo menos 80%. Daniel Butte destaca as características de segurança superiores como exemplo das suas novas funcionalidades. O compromisso de segurança começa com a célula, o módulo e a bateria para evitar danos provocados pelo excesso de pressão, sobreaquecimento, sobrecarga e descarga completa. O sensor de pancadas proporciona uma proteção adicional que controla o impacto na bateria e evita a sua má utilização. Por outro lado, o seu sistema patenteado converte a energia de travagem regenerativa em calor, em vez de a retroalimentar na bateria quando está em risco de sobrecarga.

O sistema de gestão da bateria funciona como centro de controlo. Assim controlam-se todos os parâmetros da bateria, informando o operador sobre possíveis comportamentos perigosos e garante que o equipamento esteja sob controlo em caso de defeito técnico. Um compartimento de aço de 25 milímetros de espessura para a bateria protege as suas células contra os danos externos. A Linde realizou muitos ensaios para comprovar que o sistema é capaz de proteger a bateria de agressões externas.

Publicidade

Publicidade

Lusiaves apresenta solução tecnológica no âmbito da iniciativa Indústria 4.0

Banco CTT lança crédito à habitação