in

DHL Américas abre Centro de Inovação

A DHL está a expandir a sua aposta global em inovação na região das Américas, através da mais recente inauguração do Centro de Inovação das Américas.

A par com o Centro de Inovação da DHL em Troisdorf, perto de Bona, na Alemanha, e do Centro de Inovação da Ásia-Pacífico, em Singapura, o Centro de Inovação das Américas vai usufruir de tecnologias que a DHL já está a implementar em toda a região, além de investigar soluções futuras que podem proporcionar ganhos significativos de produtividade e eficiência. “A inovação tem sido uma força motriz para a DHL desde o seu início, em 1969“, diz Ken Allen, CEO da DHL eCommerce Solutions e Board Member for Customer Solutions & Innovation do Grupo Deutsche Post DHL. “Agora, com três centros de inovação em todo o mundo, a DHL pode alavancar o poder da inovação para servir os clientes e desempenhar um papel ativo na definição do futuro do sector logístico. A DHL é uma organização que prioriza o pensar de forma diferente para oferecer a excelência e tenho orgulho de agora termos esta plataforma nas Américas para estender estas capacidades a parceiros, nos seus próprios projetos”.

Uma instalação moderna, com cerca 2.600 metros quadrados, fornece um espaço colaborativo para a DHL trabalhar com os seus clientes, parceiros tecnológicos e académicos. Estabelecer o novo centro nas Américas é um marco importante na celebração do 50.º aniversário da DHL, este ano. “A inovação permite à DHL estar na vanguarda das soluções mais inovadoras para a indústria da cadeia de abastecimento”, afirma Matthias Heutger, Global Head of Innovation and Commercial Development na DHL. “Os centros de inovação são o núcleo da nossa abordagem de inovação centrada no cliente. Eles fornecem a plataforma para entender as tendências emergentes e descobrir os ‘insights’ com potencial para gerar impactos nos negócios do mundo real. A DHL foi o primeiro operador a utilizar robôs de picking, por exemplo, em armazéns norte-americanos. A utilização de robôs autónomos para oferecer suporte à gestão de pedidos podem aumentar as taxas de recolha e embalagem até 200%, o que é uma percentagem significativa numa plataforma de comércio eletrónico, globalizado e em rápida evolução”.

As quatro unidades de negócio da DHL que operam nas Américas estão comprometidas em investir nos próximos anos no desenvolvimento e adoção de novas tecnologias que possam melhorar as operações, a experiência do cliente, reduzir custos e facilitar os melhores processos no local de trabalho para os seus colaboradores.

L´Oréal Portugal aposta na mobilidade verde

Aumentam os riscos financeiros na Europa de Leste