in

Coviran cresce em vendas e dá o salto para o online

A Coviran concluiu o exercício de 2017 com vendas brutas sob insígnia de 1.340 milhões de euros, mais 6,3% face ao ano anterior. 120 milhões de euros foram faturados em Portugal.

2017 foi um bom ano, com bons resultados e em que se cumpriram os objetivos. Estamos muito satisfeitos, porque a Coviran continua a ser a primeira cooperativa de retalhistas independentes em Espanha, lidera a proximidade na distribuição e é uma das empresas que melhor redistribui a riqueza gerada”, afirma Luis Osuna, presidente da Coviran.

O volume de negócios da empresa aumentou 6%, alcançando os 700 milhões de euros. O lucro líquido cresceu para 1,09 milhões de euros, 5% mais que em 2016, a mesma percentagem de crescimento do EBITDA, que ascendeu aos 7,87 milhões de euros.

No final de 2017, a Coviran contava com 2.700 associados, 230 dos quais em Portugal, com um total de 3.221 negócios aderentes (300 em Portugal). Os estabelecimentos sob insígnia eram 2.500, 200 dos quais no mercado português. “Tanto o número de associados como de supermercados sob insígnia desceram 75 e 79 unidades, respetivamente, devido ao processo de homogeneização e verticalidade que estamos a realizar”, nota o presidente da Coviran. Mesmo assim, a cooperativa é “a segunda empresa no ranking espanhol por número de lojas e a terceira em Portugal”, mercados onde possui uma quota de mercado de, respetivamente, 2,75% e 0,85%. Se se considerarem apenas as lojas até mil metros quadrados, as quotas sobem para 6,2% em Espanha e 2,15% em Portugal.

Durante o ano passado, a Coviran e os seus associados investiram 25,5 milhões de euros, mais 34% que em 2016. O investimento deverá ser reforçado este ano, já que a empresa vai dar o salto online no próximo mês de dezembro. 40% dos investimentos futuros serão alocados à sua transformação digital. Este ano, concretamente, serão investidos cinco milhões de euros nestes projetos. “Graças à nossa capilaridade, os nossos associados possuem uma enorme vantagem competitiva e dominam a última milha como ninguém. Vejo o canal online como um desafio e uma grande oportunidade, sabendo, além disso, que temos a Microsoft como parceira no desenvolvimento digital e tecnológico”, precisa Luis Osuna.

A par do e-commerce, a cooperativa de Granada vai também continuar a investir na modernização do seu parque de lojas e na sua expansão. Em Espanha, o objetivo é abrir 200 lojas até 2020, com especial enfoque no desenvolvimento das regiões da Catalunha, graças à aquisição da Dusa, das Canárias e das Baleares. “Com a aquisição do grupo catalão Dusa, acrescentámos 90 lojas à cadeia, com uma superfície média de 250 metros quadrados e vendas brutas anuais de 100 milhões de euros. Atualmente, temos 133 supermercados Coviran na Catalunha, um território que definimos como estratégico para os próximos anos e que converter-se-á na segunda comunidade autónoma mais importante por volume de negócios, depois da Andaluzia”, explica.

Em Portugal, mercado que a empresa antecipa vir a representar mais de 12% da sua faturação este ano, a meta são as 450 lojas até 2020.

Ainda ao nível internacional, a Coviran abrirá, em 2018, as suas primeiras lojas-piloto em Marrocos, localizadas em Tânger e Tetuán, com expectativa de que, no próximo ano, sejam inauguradas outras duas.

As previsões para este exercício são de um crescimento de 15% do volume de negócios e o objetivo para 2020 é de que as vendas brutas sob insígnia alcancem os 1.800 euros. “Os nossos objetivos para 2020 são potenciar o crescimento no centro e norte de Espanha, consolidar-nos nas Canárias e na Catalunha e crescer a dois dígitos em Portugal”, projeta Luis Osuna.

Publicidade

Fricon ultrapassa os 89 milhões de euros

Concorrer com a Mercadona sai caro às outras cadeias