in

Consumo global de vinho cairá entre 15% a 20% em valor

Foto Shutterstock

O consumo mundial de vinho, muito afetado pela crise da Covid-19, vai sofre uma baixa de 15% a 20%, em valor, segundo as estimativas da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV).

Os valores finais poderão ser ainda piores, no caso de novos confinamentos no final do ano, adverte Pau Roca, diretor geral da OIV.

O volume crescerá, este ano, 1% face a 2019, para os 258 milhões de hectolitros, mas ficará abaixo da média dos últimos anos. “Não só necessariamente más notícias”, indica Pau Roca, relembrando o nível de stock acumulado e a incerteza sobre o mercado.

 

Portugal estanca

Entre os grandes produtores de vinho, será a Espanha a registar o maior crescimento anual, cerca de 11%, para os 37,5 milhões de hectolitros, devido às boas condições climatérica do último ano, embora se mantenha abaixo da média dos últimos cinco anos.

É esperado, também, um avanço de 8% na Alemanha, com 8,9 milhões de hectolitros, mas Portugal irá estancar nos 6,5 milhões.

Pau Roca nota que a pandemia tem exacerbado as tensões que já existiam no mercado global, o que tem consequências nas trocas internacionais. No primeiro semestre, estas trocas diminuíram 6% em volume e 12,5% em valor, penalizadas, entre outros aspetos, pelas sanções comerciais impostas, desde o final de 2019, pelos Estados Unidos da América aos países europeus, devido às ajudas públicas recebidas pela Airbus. Como tal, as exportações francesas de vinho reduziram 21% em valor, as alemãs 15% e as espanholas 7%.

Publicidade

Icónicas bebidas natalícias da Starbucks chegam a casa dos portugueses

Catelli

Ebro vende negócio de massa no Canadá à Barilla