in

Compras online de bens de grande consumo atingem máximo histórico em Espanha

Na semana de 30 a 5 de abril, os gastos dos lares espanhóis em produtos de grande consumo cresceram 25% face ao período anterior

Foto Shutterstock

As compras online de bens de grande consumo, em Espanha, atingiram um máximo histórico na terceira semana de isolamento devido à crise do coronavírus, segundo os dados da Kantar.

Apesar das dificuldades do canal online para responder à crescente procura, do mesmo modo que acontece em Portugal, continuou a ganhar quota de mercado, que ronda já os três pontos.

Os produtos maioritariamente comprados através deste canal são a alimentação seca, as bebidas e a drogaria, embora esta última tenha perdido peso nas cestas online na última semana analisada.

 

Gastos dos lares crescem 25% 

Os dados da Kantar indicam que, na semana de 30 a 5 de abril, os gastos dos lares espanhóis em produtos de grande consumo cresceram 25% face ao período anterior à declaração, por parte do Governo Pedro Sánchez, do Estado de Emergência.

O pico no gasto semanal deve-se ao aumento do ticket médio pela quinta semana consecutiva, que alcançou máximos históricos e ronda já os 24 euros, e ao aumento no número de compras semanais, pela primeira vez desde aquela declaração.

Se é certo que, com o início do isolamento, o número de visitas aos supermercados tinha descido paulatinamente, na semana de 30 de março a 5 de abril estas aumentaram 4,6%.

Apesar de ainda distantes da média pré-crise, este aumento até aos 70 milhões de compras semanais pode dever-se à Semana Santa”, indica Carlos Coto, especialista em painéis de consumo da Kantar. “Face ao encerramento das lojas, mesmo que por mais um par de dias, os espanhóis vão comprar mais por previsão, abastecendo as suas despensas de alimentos, bebidas e frescos”.

 

Saudável vs indulgência

Com o prolongamento do isolamento, têm aumentado as ocasiões de consumo no lar, o que tem levado ao protagonismo das categorias de indulgência. Não obstante, na semana de 30 de março a 5 de abril, produtos como o atum fresco, o mel e os aperitivos entraram para o ranking dos mais vendidos.

Ficar em casa tem levado também a uma mudança da relação com a cozinha com os espanhóis a dedicarem mais tempo e a cozinhar e a adotar uma atitude mais consciente face aos alimentos e à saúde. Com a crise, mais de metade dos espanhóis declaram pretender desperdiçar menos comida do que antes e um terço está mais interessado em comer de modo mais saudável, descobrir novas receitas e usar mais produtos frescos. “Esta mudança no comportamento é muito interessante”, assinala Carlos Coto.

Por um lado, adotamos a indulgência e o prazer, mas, por outro, talvez pela falta de exercício físico, e sobretudo pelo tempo livre de que agora dispomos, optamos por comida saudável, pratos mais elaborados e com produtos que, antes, provavelmente perdiam validade no frigorífico”, conclui.

Publicidade

CEO do Carrefour baixa salário em 25% devido ao contexto de pandemia

CEO do Carrefour baixa salário em 25%

Indicações geográficas europeias valem 75 mil milhões de euros

Indicações geográficas europeias valem 75 mil milhões de euros