in

Indicações geográficas europeias valem 75 mil milhões de euros

Foto Shutterstock

As bebidas e produtos agroalimentares cujas denominações estão protegidas pela União Europeia mediante indicações geográficas representam um volume de vendas de 74.760 milhões de euros, segundo um estudo da Comissão Europeia.

Este valor corresponde a 7% do total das vendas do sector europeu de alimentação e bebidas e procede, em mais de um quinto, das exportações para países terceiros.

Do valor total das indicações geográficas, quase metade diz respeito aos vinhos (39.400 milhões de euros), 35% aos produtos agrícolas e alimentares (27.340 milhões de euros) e 13% às bebidas espirituosas (10.350 milhões de euros).

O estudo confirma que existe um claro benefício económico na comercialização de produtos com indicações geográficas, devido à sua reputação e ao facto dos consumidores estarem dispostos a pagar mais pela autenticidade que lhes está associada. O valor da venda destes produtos é, em média, o dobro do dos produtos similares sem certificação.

As indicações geográficas europeias refletem a riqueza e a diversidade de produtos oferecidas pelo nosso sector agrário. Os benefícios para o produtor são evidentes, podem vender os seus produtos a um preço superior aos consumidores que procuram produtos regionais autênticos. As indicações geográficas constituem um aspeto-chave dos nossos acordos comerciais. Ao proteger os nossos produtos em todo o mundo, evitamos o uso fraudulento das suas denominações e mantemos a boa reputação dos produtos agroalimentares e das bebidas europeus. As indicações geográficas protegem o valor local a nível mundial”, afirma Janusz Wojciechowski, comissário europeu com a pasta da agricultura.

 

Vinho lidera exportações agroalimentares europeias

As indicações geográficas representam 15,5% do total das exportações agroalimentares europeias. Os vinhos são o produto mais importante, tanto em termos de valor de vendas totais (51%), como de comércio exterior da União Europeia (50%). Estados Unidos, China e Singapura são os principais destinos dos produtos com indicação geográfica da União Europeia e representam metade do valor das exportações destes produtos.

O estudo baseou-se nas 3.207 denominações de produtos protegidas existentes nos 28 Estados-membros da União Europeia no final de 2017.

Publicidade

online

Compras online de bens de grande consumo atingem máximo histórico em Espanha

queda de 8% no consumo de vinho na Europa

Bruxelas estima queda de 8% no consumo de vinho na Europa