in ,

Vendas de alimentos online crescem 7 vezes mais que o total dos FMCG

Foto Shutterstock

O gasto online mundial em produtos de grande consumo aumentou sete vezes mais que as vendas totais de Fast Moving Consumer Goods (FMCG), segundo os últimos dados da Kantar.

A China continua a liderar o crescimento das vendas do e-commerce em valor, com um aumento de 36,1%. Nos últimos seis meses, o comércio eletrónico cresceu em 10 pontos a sua penetração para 73% da população, o que significa três em cada quatro lares chineses a comprar alimentação online.

Este aumento marca a China continental, juntamente com a Coreia do Sul, como os países mais avançados, a nível mundial, para o comércio eletrónico de bens de grande consumo.

De facto, as economias asiáticas continuam a liderar em termos de quota do online nas vendas totais. A Coreia do Sul encabeça a lista, com uma quota em valor do online de 20,3%, seguida da China com 15,2% e de Taiwan com 8,7%.

Na Europa Ocidental, o Reino Unido obtém a maior parte das vendas online de bens de grande consumo, com 7,6%, seguido da França (6,2%).

Olhando para o futuro, a Kantar perspetiva que, em 20205, as vendas online venham a representar quase um terço das vendas de bens de grande consumo na China e um quarto na Coreia do Sul. Em França e no Reino Unido, valerão 10%. “Prevemos que, para 2025, as vendas online de alimentos dupliquem, o que significa que 10% das vendas globais de FMCG serão feitas online. A procura contínua de conveniência nas zonas urbanas, a integração entre online e offline, a criação de novas opções diretas para o consumidor e mais tecnologia ajudarão a alcançar novos objetivos, para além do perfil atual das famílias com maior disponibilidade de rendimento e filhos”, afirma Stéphane Roger, diretor global de compras e retalho da divisão Worldpanel.

Publicidade

Publicidade

Lucros da General Mills crescem 69% no seu segundo trimestre fiscal

Hipermercados Carrefour perdem dinheiro pela primeira vez em França