in

Como vai ser a campanha de Natal de 2019?

A época natalícia é responsável por 30% das vendas anuais do retalho, um valor que tende a subir.

A conclusão é de um estudo da McKinsey, que apurou que, este ano, um terço dos shoppers esperam gastar mais que no ano passado, sobretudo os Millennials e a Geração Z.

A pesquisa alerta que o foco exclusivo no digital poderá levar o sector a deixar passar algumas mudanças nas tendências de consumo. Para melhor as compreender, a consultora expandiu o seu tradicional foco na Black Friday para acompanhar mais da época de compras natalícia no Canadá, Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos da América. O “2019 Holiday Season Shopping Report” deteta, assim, algumas tendências emergentes que terão grandes implicações para os retalhistas.

De acordo com o estudo, os shoppers estão à procura de ajuda. A sua principal preocupação é não saber que presente comprar, confirmada por 47% dos inquiridos. Esta falta de certezas reflete-se também no facto de muitos consumidores não terem definido um orçamento para as compras: 13% no Canadá, a mesma percentagem no Reino Unido, 12% na Alemanha e 10% nos Estados Unidos.

Os comportamentos de compra omnicanal serão prevalecentes. 62% dos consumidores planeiam comprar tanto online como offline. Aliás, os shoppers estão a procurar cada vez mais o digital para potenciar a sua experiência de compra física, como os displays digitais (24%), o self checkout (11%) e ofertas no seu smartphone (10%). Ao mesmo tempo, suportes como os catálogos e folhetos continuam a ser valorizados como fonte de informação e de ideias.

Os consumidores estão a antecipar a preparação das compras de Natal, através de uma pesquisa cada vez mais precoce sobre o que e onde comprar. Apenas 12% admite comprar espontaneamente.

O estudo nota ainda que as mulheres continuam a ser as principais responsáveis pelo planeamento e pelas compras de Natal, com as britânicas (24%) e as canadenses (19%) a mostrarem ser as mais organizadas. Mas cada vez mais os homens querem ter um papel ativo. Para as mulheres, o foco está nas compras de presentes para o lar e para as crianças, enquanto para os homens está nas compras para o cônjugue ou para eles próprios.

Além disso, as compras estão a fazer-se cada vez mais cedo. Não obstante a Black Friday e a Cyber Monday serem dias importantes, os consumidores estão a expandir a época de compras. Uma minoria crescente comprou antes de outubro (14%) e a maioria irá concluir esta tarefa antes do início de dezembro.

Web Summit com impacto de 64,4 milhões de euros no turismo

El Corte Inglés estuda venda do negócio de viagens