in

Como será o futuro do transporte de mercadorias na União Europeia pós-Brexit?

2019 será marcado pela saída do Reino Unido da União Europeia. Apesar de não serem conhecidos, ainda, os reais contornos e consequências desta saída, o Brexit alterará, seguramente, o transporte e a logística a nível europeu.

À espera do resultado e consequências dos acordos, a Dachser antecipa já que a saída do Reino Unido da União Europeia irá implicar que o transporte de bens para o país (assim como a partir deste) se torne, inevitavelmente, mais complexo e demorado. “É importante salientar que esta complexidade afetará não só as importações e exportações diretas, mas também, a rede integrada que a Dachser foi desenvolvendo ao longo de 25 anos de uma União Europeia ‘sem fronteiras’”.

Nick Lowe, managing diretor da empresa de logística no Reino Unido, assegura que para assegurar a gestão das expedições dos clientes, esta continuará a adaptar os processos operacionais e serviços, tanto para cumprir os requerimentos legais, como para dar resposta às forças do mercado. “Continuamos a acreditar que a logística conecta mercados e constrói pontes entre países e que irá continuar a fazê-lo, independentemente do futuro do Reino Unido”, assegura o diretor.

O Governo britânico deixou clara a sua intenção de não permanecer na união aduaneira e no mercado único, o que poderá representar taxas adicionais nas exportações e importações de bens e mudanças nas cadeias de abastecimento, há 25 anos integradas, entre o Reino Unido e a União Europeia. Até que se chegue a algum ponto de decisão nos novos acordos sobre as tarifas aduaneiras e as relações entre os mercados, as empresas de logística não poderão eficazmente iniciar o seu processo de adaptação. É possível que os procedimentos aduaneiros para as trocas entre o Reino Unido e a União Europeia sejam semelhantes aos de países terceiros, como a China, mas também é possível que se adote um processo simplificado.

Como um dos maiores grupos privados do mundo na área da logística e transporte de mercadorias, empregando cerca de 27.450 trabalhadores em 431 filiais em 37 países, a Dachser está a posicionar-se para este cenário de mudança. A multinacional alemã está presente no mercado ibérico através das linhas de negócio Dachser European Logistics, anteriormente Azkar Dachser Group, dedicadas ao transporte terrestre e serviços logísticos integrais, e Dachser Air & Sea Logistics (ASL), que é responsável pelos transportes aéreo e marítimo, oferecendo, ainda, todos os serviços de valor acrescentado inerentes a estas áreas de negócio. Na Europa, a Dachser posiciona-se no transporte rodoviário como uma solução única para todas as necessidades logísticas orientada para a exportação. Os seus serviços incluem armazenamento e soluções de distribuição, encomendas B2B, serviços específicos de carga parcial e total e serviços especializados para a indústria química e bricolage, decoração e jardinagem.

A nível global, em 2016, a Dachser alcançou um volume de negócios de cerca de 5,7 mil milhões de euros. A multinacional alemã processou um total de 80 milhões de expedições, com um volume global de 38,2 milhões de toneladas.

Publicidade

Publicidade

Decisão de compra de produtos novos acontece na loja

Vendas da L’Oréal caem 1% no 1.º trimestre