in ,

Comissão Europeia vai multar a Google em 2,42 mil milhões de euros devido ao serviço de comparação de preços

A Comissão Europeia vai impor uma multa milionária à Google. No valor de 2,42 mil milhões de euros, trata-se da maior sanção alguma vez imposta a uma empresa por abuso de posição dominante em território da União Europeia e é mais que o dobro que o anterior recorde de 1,06 mil milhões de euros aplicado, em 2009, à Intel.

Em comunicado, a Comissão Europeia conclui que a Google abusou da sua posição dominante de mercado ao dar ao seu serviço de comparação de preços uma vantagem ilegal. Esta vantagem refere-se à posição de destaque do Google Shopping nos resultados de pesquisa. “Asfixiou a concorrência em matéria de mérito no mercado de comparação de preços“, diz Comissão Europeia.  

Para Bruxelas, “está provado que mesmo o serviço concorrente com melhor classificação só aparece, em média, na quarta página de resultados de pesquisa da Google e outros aparecem em posição de ainda menor visibilidade. O serviço de comparação de preços da Google não está sujeito aos algoritmos de pesquisa genéricos da Google que preveem essas despromoções“.

A tecnológica norte-americana nega as acusações, assegurando que não prejudica nunca os serviços da concorrência. “Acreditamos que a decisão da Comissão Europeia relativa ao Google Shopping subestima o valor dessas ligações rápidas e fáceis. Enquanto que alguns websites comparadores de preços querem, naturalmente, que a Google os mostre de uma forma mais proeminente, os nossos dados mostram que as pessoas, geralmente, preferem links que os levam diretamente aos produtos que pretendem e não a websites onde têm que repetir essas mesmas pesquisas“.

Kent Walker, advogado e vice-presidente do Google, reagiu à decisão de Bruxelas dizendo a empresa “discorda respeitosamente” das conclusões anunciadas. “Vamos analisar detalhadamente a decisão da Comissão Europeia, ao mesmo tempo que vamos considerar um recurso e apresentarmos a nossa argumentação“.

De acordo com a Google, “milhares de comerciantes europeus utilizam estes anúncios para competirem com grandes companhias como a Amazon e eBay. Quando a Comissão Europeia questiona o porquê de alguns sites comparadores de preços não estarem tão bem quanto outros, pensamos que a Comissão deveria considerar que muitos websites têm crescido neste período – incluindo plataformas como a Amazon e o Ebay“. Pelo que, no seu entender, é “natural que outros serviços de comparação se tenham tornado menos populares”.

A Google tem agora 90 dias para “pôr um fim à sua conduta” ou arrisca-se a uma multa no valor até 5% das receitas diárias mundiais da Alphabet, a empresa-mãe do motor de busca.

Publicidade

Novo acionista quer revolucionar a Nestlé

Cortes de Cima lança vinho de talha