in

Comércio mundial contrai na 1.ª metade do ano

Foto Shutterstock

O comércio mundial contraiu significativamente no primeiro semestre, devido aos efeitos da pandemia de Covid-19 na economia global.

Não obstante, a rápida resposta dos governos ajudou a travar aquela contração, pelo que os economistas da Organização Mundial do Comércio (OMC) consideram que os piores cenários, projetados em abril, não deverão concretizar-se.

Em concreto, as estatísticas da OMC indicam que o volume no comércio de mercadorias reduziu para um ritmo de +3%, no primeiro trimestre. As estimativas iniciais para o segundo trimestre, durante o qual o vírus e as medidas de confinamento para conter a sua propagação afetaram grande parte da população mundial, apontam uma redução homóloga de 18,5%. “Esta redução atinge níveis históricos, mas podia ter sido muito pior”, destaca a OMC, em cuja previsão publicada em abril equacionou mesmo uma contração de 32%.

Face a isto, bastará que o comércio cresça 2,5% a cada trimestre, até ao final do ano, para que se cumpra a projeção mais otimista.

 

2021

Porém, para o próximo ano, a evolução desfavorável, incluindo uma segunda vaga da Covid-19, um crescimento económico mais fraco do que o previsto ou o recurso generalizado a restrições comerciais, poderá levar a uma expansão abaixo do estimado em projeções anteriores. “Para que a produção e o comércio se recuperem com força, em 2021, as políticas fiscal, monetária comercial devem manter o seu impulso conjunto na mesma direção”, alerta Roberto Azevêdo, diretor geral da OMC.

Publicidade

Entregas

O impacto da Covid-19 na sustentabilidade

Coronavírus

Portugueses temem segunda vaga da Covid-19