in

Cerveja Nortada avança com rebranding

A marca de cerveja Nortada vai avançar com algumas mudanças. O “rebranding” é justificado por se “tratar de uma marca jovem, que ainda se está a ajustar às necessidades dos consumidores”.

A nova identidade da Nortada foi projetada pela “prata da casa”. Tem a assinatura do designer Pedro Lima, sob a liderança do brand manager Diogo Guerner, num processo criativo que envolveu todas as pessoas da empresa. Para Tiago Talone, um dos fundadores e líderes da marca, “esta capacidade para agir rápido e de forma organizada e concertada é um enorme motivo de orgulho para uma empresa pequena, que está a dar os seus primeiros passos e que compete num mercado extremamente competitivo”.

O “rebranding” nasceu do feedback dos consumidores e por sentir-se a importância de se rever o posicionamento da marca, de forma a reforçar a perceção de qualidade do produto. Assim, apresenta um novo mote: “Chegou a Nortada! Um vendaval de sabor que traz consigo cervejas artesanais únicas, feitas com as melhores matérias-primas, apostando sempre em receitas 100% malte. Porque acreditamos que produzir cerveja é uma verdadeira arte, arregaçamos as mangas para dar mais sabor aos momentos que os brindes falam mais alto!”.

Diogo Gerner explica que “o packaging é o primeiro ponto de contacto entre a marca e o consumidor, pelo que seria fundamental procedermos a uma mudança profunda sem, no entanto, rompermos com o passado. Dessa forma, quisemos neste exercício reforçar o conceito de cerveja artesanal bem patente nos nossos produtos e dar a conhecer um pouco mais cada um dos estilos da cerveja. É por isso que as ilustrações em cada uma das garrafas contam um pouco sobre a origem de cada estilo de cerveja”. Ainda segundo Diogo Guerner, “com esta nova identidade, garantimos um maior alinhamento entre todos os pontos de contacto com o consumidor, seja no packaging, como em todos os materiais de ponto de venda e, ainda, nas redes sociais, onde a empresa aposta fortemente no contacto com os seus consumidores”.

Paralelamente, a Fábrica de Cervejas Portuense tornou-se recentemente na segunda empresa do sector cervejeiro em Portugal e na primeira e única microcervejeira a garantir o certificado de IFS-Food.

Outra nota de destaque prende-se com a entrada da empresa na Associação Cervejeiros de Portugal. Para Tiago Talone a participação nesta associação “era a única opção. Um sinal de respeito pelas as empresas que até aqui têm vindo a enaltecer o nome da cerveja em Portugal. Mas também por reconhecermos a união que sempre existiu dentro do sector e para, dessa forma, podermos também contribuir. Porque só assim será possível promover melhor o sector cervejeiro em Portugal”.

A Fábrica de Cervejas Portuense é um projeto coliderado por Tiago Talone e Pedro Mota, dois jovens experientes no sector cervejeiro que se aventuraram a construir uma nova empresa e a gerir uma nova marca e que tem como ambição participar na revolução micro cervejeira que se assiste em Portugal.

A cerveja Nortada foi lançada em abril de 2017 e, no espaço de um ano, tornou-se numa das maiores marcas de cerveja artesanal em Portugal, com um volume de vendas de aproximadamente 200 mil litros (abril a dezembro).

Em fevereiro passado, a Fábrica de Cervejas Portuense inaugurou o seu espaço na Rua Sá da Bandeira, no Porto, com a abertura de um restaurante ao estilo Brew Pub, onde os consumidores podem acompanhar o processo de produção enquanto desfrutam das cervejas e outros petiscos.

A ambição para 2018 mantêm-se e, segundo os promotores do projeto, a capacidade produtiva da fábrica ainda estará longe de alcançar, pelo que há ainda muita margem de progressão nas vendas de cerveja Nortada, que já conta com mais de 30 pontos de venda de cerveja à pressão e mais de mil pontos de venda de cerveja em garrafa. Segundo Tiago Talone, os novos desafios passam pelo alargamento das vendas no canal off-trade (garantindo, assim, o consumo em casa) e pelos acordos de distribuição com parceiros que garantam as vendas de Nortada nos cafés, bares e restaurantes, um pouco por todo país.

Publicidade

Publicidade

Perda anual de mil milhões de euros em Portugal devido a contrafação

Mondelez amplia programa de trigo sustentável para a totalidade da produção das suas bolachas na Europa