in ,

Black Friday vai ser um “desastre” para os comerciantes portugueses

Foto Shutterstock

A fintech euPago acredita que a BlackFriday de 2020 será um “desastre”, uma vez que, o volume de transações vai disparar e os comerciantes irão ter problemas acrescidos com os fornecedores, por não conseguirem dar resposta ao volume de vendas.

Segundo uma análise sua realizada com base nos anos anteriores, estima-se que as vendas, em Portugal, ascendam, este ano, a 91 milhões de euros. “É expectável que a quantidade de compras cresça 67%, o volume de vendas aumente 64% e valor médio por compra 25%”, alerta Telmo Santos, CEO da empresa.

Segundo os dados da euPago, “na impossibilidade de substituir os produtos adquiridos, terão de devolver o dinheiro aos clientes. Segundo a lei, o cliente tem 14 dias para manifestar se quer o reembolso e 30 dias para devolver o produto”, explica aquele responsável.

 

27 milhões de euros em devoluções

A euPago recorda o estudo da Invesp relativa a 2019, em que cerca de 30% dos produtos comprados online são devolvidos e, por isso, estima que o volume de reembolsos deste ano ascenda a 27 milhões de euros.

Este estudo refere que 92% dos consumidores continuarão a comprar de uma loja se o processo de devolução for fácil, logo, o grande desafio dos comerciantes vai ser responder com celeridade aos consumidores. “Foi a pensar nestas medidas e mudanças que criámos um serviço personalizado de reembolsos para os comerciantes e que será oferecido até 31 de dezembro de 2020”, anuncia Telmo Santos.

Com este serviço o comerciante poderá processar automaticamente reembolsos para os seus clientes. Ao ativar esta funcionalidade, os fundos serão devolvidos ao cliente de um modo rápido e eficiente, minimizando a má experiência que poderia ter sido a compra.

Publicidade

Mi Store

Mi Store já chegou ao Chiado

Garnier Bio

Garnier Bio lança uma nova linha de cânhamo