in

Black Friday com faturação abaixo dos valores registados em pré-pandemia

Foto Shutterstock

A REDUNIQ acaba de divulgar os dados mais recentes sobre a faturação alcançada na Black Friday de 2021, em comparação com os valores alcançados em 2019, em período pré-pandemia. De acordo com o “acquirer”, a última sexta-feira ficou 8,4% abaixo dos valores registados em igual período de há dois anos.

Paralelamente, no último fim-de-semana, os negócios também não conseguiram superar os valores alcançados em 2019, ficando 0,5% abaixo.

No entanto, no total da semana que inclui a Black Friday, 2021 registou mais 11% de faturação do que em 2019. Segundo Tiago Oom, diretor da REDUNIQ, “nota-se que, este ano, não houve uma Black Friday, foi mais uma Black Week, dado que as promoções começam logo no início da semana. Com esta alteração, passou a haver uma distribuição mais forte pelos restantes dias da semana“.

Já ao nível do número de transações, o presente ano registou um crescimento face a 2019 de 7,7%, na sexta-feira de Black Friday, 14,2% no fim-de-semana e 24,4% na semana. “Estes resultados permitem concluir que, apesar de gastarem menos, os portugueses realizaram, em média, mais compras, levando o preço médio por compra a diminuir de 45,69 euros para 38,87 euros no dia da Black Friday”.

 

Performance negativa

Os sectores com maior impacto na Black Friday foram os eletrodomésticos e tecnologia, a moda, as papelarias/livrarias e as perfumarias, que registaram um crescimento face à média das sextas-feiras de novembro acima dos 100%, assim como face aos restantes dias do mês.

No entanto, estes sectores apresentaram uma performance negativa face à Black Friday de 2019, com quebras superiores a 30%. Dentro do sector da moda, a categoria com melhor desempenho foram as sapatarias, que, em comparação com a Black Friday de 2019, registaram uma quebra de apenas 12%.

Numa análise mais cirúrgica, os únicos horários que registaram um crescimento de faturação face a 2019 foram os  das 0 à 1 hora, das 8 às 9 horas, das 17 às 18 horas e das 18 às 19 horas, com as 0 horas alcançarem um crescimento de 185%. O pico de faturação, em 2019 e 2020, aconteceu entre as 16 e as 17 horas e, em 2021, entre as 17 e as 18 horas, representando este horário um peso de 8,8%, no total do dia. Já o pico de número de consumidores ocorreu entre as 18 e as 19 horas nos três anos, representando, em 2021, um peso de 8,9%. Adicionalmente, um terço da faturação total gerada na Black Friday de 2021 ocorreu entre as 15 e as 19 horas.

Por sua vez, o peso do número de transações via contactless na Black Friday foi de 16,4% em 2019, 53,1% em 2020 e 69,1% em 2021. Já em termos de faturação através deste meio de pagamento, registou-se um crescimento de 574,9% face a 2019.

Publicidade

Lancôme

Lancôme associa-se à Girl MOVE para apoiar o empoderamento feminino

Bosque C&A

C&A, Life Terra e Companhia das Lezírias impulsionam a biodiversidade local