in

Bain Capital vai adquirir a Daymon Worldwide

Um dia após o comunicado de imprensa oficial da Bain Capital sobre a aquisição de uma participação maioritária na Daymon Worldwide, a Reuters reporta uma transação avaliada em 143 milhões de dólares, bem como a inclusão do operador de supermercados chinês Yonghui Superstores no negócio.

O retalhista vai investir 165 milhões de dólares para comprar 40% do capital da Daymon, enquanto a Bain Capital comprará os restantes 60%. A notícia do investimento chinês significativo aponta o interesse da Bain em alavancar a Daymon para crescer o negócio na China.

A cadeia de supermercados sediada em Fuzhou é uma das empresas Fortune 500 da China, sendo a quinta maior empresa de supermercados local. Opera mais de 460 lojas em 17 províncias e cidades, incluindo Pequim, Xangai, Chongqing, Zhejiang e Guizhou.

Fundada em 1970 com um património profundamente enraizado em marcas privadas, a Daymon evoluiu ao longo dos seus 46 anos de história para se tornar num fornecedor líder de serviços de retalho com forte presença global. A experiência da Daymon varia desde o desenvolvimento da marca privada até estratégia e ‘branding’, sourcing e logística, serviços de merchandising de retalho e marketing de experiência do consumidor. As unidades de negócios afiliadas da empresa oferecem a flexibilidade de um programa de retalho totalmente integrado, bem como soluções personalizadas para necessidades específicas dos clientes”, diz o comunicado da imprensa da Bain.

O mercado de retalho global continua a crescer substancialmente e deverá atingir os 28 mil milhões de dólares até 2019, com uma taxa média de crescimento anual de 3,8%. Enquanto isso, as vendas na Ásia deverão superar os 10 mil milhões de dólares até 2018. Atualmente, existe uma escassez significativa de “expertise” em desenvolvimento e estratégia de marca, serviços de merchandising, entre outras áreas, o que é necessário para apoiar o forte crescimento naquela geografia

Publicidade

Leroy Merlin Matosinhos inaugura área comercial de materiais de construção

Escassez de laranja do Algarve causa quebra de produção na Sumol+Compal