in

Aumentam as reclamações relativas à Black Friday

No rescaldo da semana Black Friday 2018, o Portal da Queixa verificou que, face a 2017, os consumidores estão mais conscientes acerca do que representam as oportunidades na Black Friday.

O número de reclamações aumentou, tendo registado mais de 70 queixas (62 no ano passado). Porém, se em 2017, a dificuldade de contacto e apoio com das marcas era o principal motivo de reclamação dos consumidores, este ano, no topo da tabela estão motivos como o aumento do preço antes da promoção por forma a aplicar o desconto, a falta de stock no momento da compra, dificuldades de efetuar a compra com a promoção anunciada e atraso de entrega. “Este ano, verificou-se uma natural tendência no aumento de campanhas das marcas relacionadas com a Black Friday e, por isso, verificou-se igualmente um exponencial aumento na procura relativamente à oferta. Por conseguinte, registámos uma subida das reclamações relativas à Black Friday em Portugal”, explica Sónia Lage Lourenço, COO e Co-Founder do Portal da Queixa. “Este ano, a queixa referente à ‘falta de capacidade de contacto com a marca’ foi quase nula, dando lugar à reclamação por ‘variação do preço’”.

Entre as marcas com o maior número de reclamações registadas no Portal da Queixa, as mais visadas são no sector da tecnologia – Fnac, Worten, Media Markt, Rádio Popular e El Corte Inglés – facto que resulta da elevada procura destes produtos em iniciativas como estas. Contudo, o sector do comércio a retalho de vestuário e alimentação também foram um grande alvo de reclamações. Segundo revela a responsável, “muitos consumidores relataram que alguns dos melhores descontos apresentados constituíram um chamariz, na medida em que na hora de os adquirir não estavam disponíveis por falta de stock ou dificuldade na aquisição dos mesmos”.

Quanto à plataforma www.blackfriday2018.pt,  que ainda esteve online para a Cyber Monday, o balanço do Portal da Queixa é positivo. “Este ano, verificámos que os consumidores já estão mais conscientes acerca do que representam as oportunidades na Black Friday, face a 2017, que foi o primeiro ano de grande impacto e as dúvidas eram muitas. Contudo, devido a más práticas de algumas marcas, nos anos anteriores, os consumidores procuraram, este ano, confiança e transparência, para que as suas compras fossem efetuadas com segurança e que representassem uma real vantagem de desconto. Por essa razão, as 247 marcas que quiseram estar presentes na plataforma Blackfriday2018.pt demonstraram essa disponibilidade para o contacto imediato, por forma a garantirem uma maior proximidade e confiança na hora de comprar. O balanço é realmente otimista e é realçado pela atitude positiva, que as marcas quiseram demonstrar aos seus consumidores. Não há dúvida que a reputação online está a mudar o paradigma de consumo em Portugal e, cada vez mais, as grandes marcas necessitam de estar onde estão os consumidores”, conclui Sónia Lage Lourenço.

Publicidade

EUA, Canadá, China e Brasil são apostas dos vinhos portugueses para 2019

Anúncio de Natal do El Corte Inglés gravado pela 1.ª vez em Lisboa