in

Exportações agroalimentares da União Europeia aumentaram 16% em janeiro

Foto Shutterstock

O valor total do comércio agroalimentar da União Europeia atingiu um valor de 28,3 mil milhões de euros, em janeiro, n um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado e um aumento de 16% face à média de três anos. Especificamente, as exportações atingiram 15,8 mil milhões de euros, enquanto as importações foram avaliadas em 12,5 mil milhões de euros, representando aumentos de 16% e 38%, respetivamente.

No relatório da Comissão Europeia, assinala-se que a tendência de diminuição das exportações e aumento das importações de produtos agroalimentares, que começou no outono de 2021, continuou em janeiro. Isto resultou numa diminuição significativa da balança comercial, que desceu 50% em comparação com setembro.

Os maiores aumentos nas exportações foram registados no Reino Unido e nos Estados Unidos, que, juntamente com a China, representam 40% de todas as exportações agroalimentares da União Europeia. As exportações para o Reino Unido cresceram em 894 milhões de euros (+36%), para atingir os níveis de 2020, após uma queda acentuada no ano passado. Isto deveu-se, principalmente, ao crescimento das exportações de aves e ovos, vegetais, cerveja, sidra e outras bebidas. As exportações para os Estados Unidos cresceram em 323 milhões de euros (+21%), impulsionadas em grande parte por cereais, aves de capoeira e ovos. As exportações para a China, contudo, diminuíram em 414 milhões de euros (-28%).

 

Importações

As principais origens das importações agroalimentares, em janeiro, foram os Estados Unidos e o Brasil, seguidos do Reino Unido e da Ucrânia. Estes quatro países são responsáveis por 35% de todas as importações agroalimentares da União Europeia.

O maior aumento foi observado nas importações do Reino Unido, que cresceram 137%, para atingir um valor superior a mil milhões de euros, com um crescimento particularmente forte nas importações de vinho e produtos à base de vinho, bem como de aves de capoeira e ovos. Apesar deste crescimento significativo, as importações britânicas permanecem 21% abaixo dos níveis de janeiro de 2020.

Em janeiro, antes da invasão russa, as importações da Ucrânia cresceram 88%, numa base anual, para os mil milhões de euros. Isto foi impulsionado, principalmente, pelas importações de cereais, que cresceram em 258 milhões de euros (+136%).

Por outro lado, as importações provenientes dos Estados Unidos cresceram 16%, enquanto que as importações provenientes da China aumentaram 67%.

 

Categorias de produto

Em termos de produtos específicos, as três principais categorias de exportação da União Europeia foram preparações e produtos de moagem de cereais, produtos lácteos e vinho e produtos à base de vinho. Estas representaram um quarto de todas as exportações agro-limentares. Em janeiro, estes sectores aumentaram os seus valores de exportação em 203 milhões de euros, 219 milhões de euros e 227 milhões de euros, respetivamente.

As exportações de cereais também cresceram fortemente, em 210 milhões de euros ou 24%. Embora a carne de porco continue a ser o quarto sector de exportação mais forte, o valor das exportações diminuiu em 233 milhões de euros (-16%), em comparação com janeiro do ano passado.

Do lado da importação, o valor das importações de oleaginosas e de proteaginosas excedeu 1,7 mil milhões de euros, em janeiro. Estes produtos representaram 14% de todas as importações agroalimentares, em 2021.

O valor das importações de óleo vegetal aumentou em 89%, para 0,9 mil milhões de euros, impulsionado, principalmente, pelo óleo de colza. As importações de fruta foram avaliadas em 1,6 mil milhões de euros, o que representa um aumento anual de 6%. Por outro lado, registou-se um forte declínio nas importações de azeitonas e de azeites, que caíram 18%.

Publicidade

Skincare

Pandemia muda o mercado da beleza

Metaverso

83% mostra interesse em fazer compras através do metaverso