in

Comércio agroalimentar da UE aumentou 14% em abril

agroalimentar
Foto Shutterstock

O valor total do comércio agroalimentar da UE atingiu 31,4 mil milhões de euros em abril de 2022, um aumento de 14% em relação a abril de 2021, de acordo com os últimos números divulgados pela CE, revelando que as exportações agrícolas da UE caíram 5,4%, principalmente devido à diminuição das exportações para a Rússia (-26%) e para a China (-11%).

Por seu lado, as importações atingiram um valor de 13,5 mil milhões de euros (menos 1,2% do que em março), resultando numa balança comercial agroalimentar de 4,4 mil milhões de euros para abril de 2022. Isto representa uma queda mensal de 16%.

Globalmente, os fluxos comerciais de janeiro a abril de 2022 são significativamente superiores ao período correspondente do ano passado, com as exportações a aumentarem 10% e as importações a aumentarem 28% devido a um preço global mais elevado.

O relatório foca também o impacto da invasão russa da Ucrânia sobre o agro-negócio em abril de 2022. Como resultado, as importações de milho da Ucrânia caíram drasticamente em março e abril (-35% ano a ano), tal como as da Sérvia (-77%). As importações de milho dos Estados Unidos, Canadá, Moldávia e Brasil compensaram parcialmente esta perturbação da cadeia de abastecimento.

 

Exportações

Notáveis aumentos mês a mês foram observados nas exportações para a Ucrânia e África subsaariana. Para a Ucrânia, houve um aumento de 93% em relação a março, com um crescimento particularmente forte das exportações de carne de porco, aves de capoeira, farinha e flocos. O crescimento das exportações para a África Subsaariana disse respeito às oleaginosas (+83% em volume), cereais (+27%) e preparações de cereais (+14%).

No caso de categorias específicas de produtos, o valor das exportações de cereais foi o que mais aumentou durante os primeiros quatro meses do ano, 26% ou um milhão de euros. As preparações à base de cereais e produtos de moagem (+15%) e produtos lácteos (+13%) também registaram um crescimento notável.

As exportações de carne de porco e horticultura, no entanto, caíram 24% e 3% respectivamente. Isto deveu-se à contínua redução da procura de exportação de carne de porco para a China e à menor procura de produtos hortícolas no Reino Unido e na Rússia.

Turismo

Turismo: reclamações aumentam 15% no primeiro semestre

AB InBev

Vendas da AB InBev aumentaram 11,3% entre abril e junho