in

Aralab cresce 34% para os 9 milhões de euros

A Aralab, empresa portuguesa de produção e distribuição de câmaras climáticas, teve, em 2019, o seu melhor ano de sempre, crescendo 34%. As receitas chegaram aos nove milhões de euros.

Especialista num mercado muito específico, mais de 80% da produção da empresa destinou-se a mercados externos, tendo efetuado vendas para 36 países, da Nova Zelândia até ao Peru. A posição em mercados estratégicos, como Espanha, Reino Unido, França, Alemanha e nalguns países asiáticos, como Singapura e China, foi também reforçada ao longo de 2019. A empresa de Rio de Mouro, em Sintra, constrói câmaras climáticas que são capazes de simular qualquer clima e que são usadas pela indústria farmacêutica (armazenamento de medicamentos), indústria automóvel (teste de resistência das peças às diferentes temperaturas) ou por investigadores na área agrária (crescimento de plantas em ambientes controlados).

Ao todo, o Grupo Aralab faturou 13 milhões de euros, em 2019. O grupo conta ainda com as empresas Concessus, para a venda de equipamentos para o sector da saúde, a Bluestabil, para a área de negócio dos serviços, e com a Grow to Green, para a produção de alimentos em ambiente controlado.

Para 2020, o objetivo é crescer. “Este ano, estimamos continuar a nossa trajetória de crescimento e obter vendas acima dos 10 milhões de euros. Para isso, contamos reforçar a quota de mercado em países tradicionalmente nossos clientes, como Espanha, França ou Alemanha, e penetrar ou consolidar noutros mercados, como Austrália ou o Leste da Europa”, afirma Luís Branco, administrador da Aralab. “Continuamos a investir na vertente de câmaras para produção, em paralelo às câmaras de investigação, pois estamos certos que a tendência de produzir alimentos vegetais em ambiente controlado será a via mais adequada para alimentar a população mundial e preservar o meio ambiente e os recursos naturais”, conclui.

49% dos quadros da Nestlé Portugal são mulheres

Vendas no sector terciário podem cair 50% em Portugal