Comércio encerrado
Foto Petr Pohudka/Shutterstock
in , ,

AMRR reporta novo fim de semana desastroso para o retalho e restauração

Perdas acima dos 75%

A Associação de Marcas de Retalho e Restauração (AMRR) acaba de divulgar os dados do seu mais recente observatório sobre as vendas do segundo fim-de-semana com recolher obrigatório, que impõe limitações ao funcionamento do comércio e restaurantes. Dados apontam para perdas de 76%, tal como já se havia verificado no último fim de semana com limitações.

Embora as medidas decretadas tenham afetado mais os 191 municípios com recolher obrigatório, as perdas superiores ao habitual foram sentidas em todos. “Foi mais um fim-de-semana muito difícil para o retalho e restauração, com perdas elevadíssimas para todos e com a importante agravante da maioria dos lojistas já estarem com promoções no âmbito da Black Friday”, afirma Miguel Pina Martins, presidente da AMRR. “O retalho sem Natal entra em colapso. Temos por princípio não comentar as medidas tomadas para fazer face à crise sanitária, mas não podemos deixar de referir que a redução de horário e a limitação de operação geram maior afluência num menor espaço de tempo.”

 

Mais de 375 mil empregos dependentes do retalho

Miguel Pina Martins recorda que são mais de 375 mil empregos dependentes do sector do retalho e restauração. “Estamos a falar de centenas de milhares de famílias cujo rendimento depende da operação das lojas e restaurantes. Não podemos continuar a aceitar que se assobie para o lado e que se ignore o apoio que estas empresas precisam. O tema das rendas é essencial e continuamos a apelar para que haja uma justa e equitativa repartição de sacrifícios, pedindo aos partidos políticos que não abandonem o sector e que defendam a economia e o emprego, permitindo a manutenção de milhares de postos de trabalho”.

Recorde-se que no fim de semana passado, as perdas cifraram-se em 75,9%%, levando a Associação de Marcas de Retalho e Restauração a assinalar o momento como um fim de semana catastrófico que pode ditar o fim de muitos negócios.

Publicidade

Natal

71% dos portugueses irá fazer a ceia de Natal em casa

Justiça

Ações coletivas de proteção dos consumidores vão vigorar em toda a União Europeia