in

Amazon autorizada a entrar no capital da Deliveroo

Foto Cineberg/Shutterstock

O regulador da concorrência britânico decidiu autorizar, de forma provisória, a entrada da Amazon no capital da Deliveroo, cuja continuidade no mercado britânico estava ameaçada pela pandemia da Covid-19.

Recorde-se que a Autoridade da Concorrência e dos Mercados (CMA, pela sua sigla em inglês) tinha aberto, em dezembro de 2019, uma investigação profunda à operação. Contudo, “à luz da deterioração da posição financeira da Deliveroo como resultado do coronavírus”, em virtude do forte impacto negativo das medidas de isolamento aplicadas no Reino Unido, o regulador foi informado que, sem o apoio da Amazon, a empresa de entregas ao domicílio poderia ver-se forçada a abandonar o mercado britânico. “A CMA considera atualmente que a saída iminente da Deliveroo seria pior para a concorrência do que permitir o investimento da Amazon e, portanto, concluiu provisoriamente que o acordo deve ser autorizado”, anunciou. “Estas circunstâncias, totalmente sem precedentes, significaram reavaliar o foco desta investigação, reagir rapidamente ao impacto do coronavírus e decidir o que significaria para as empresas envolvidas nesta transação e, em última instância, para os seus clientes”, indica Stuart McIntosh, presidente do grupo de investigação independente da CMA.

O responsável assinala que a ausência de investimento adicional impedira a Deliveroo de cumprir os seus compromissos financeiros, forçando a sua saída do mercado. “Isto poderia significar que alguns clientes ficassem totalmente excluídos da entrega de alimentos online, enquanto que outros enfrentariam preços mais altos ou uma redução na qualidade do serviço”, acrescenta.

Publicidade

Procter & Gamble alcançou vendas no valor de 17.214 milhões de dólares

P&G aumenta vendas em 4,6%

Moody’s

Moody’s alerta que liquidez será fundamental para o retalho não alimentar