in ,

Agri Milk Show reúne sectores do agro-negócio na Exponor

Evidenciar os benefícios do leite para a saúde e para a economia, reunir agentes económicos e galvanizar um sector que tem passado por alguns constrangimentos são os objetivos do Agri Milk Show – Feira Internacional do Agro-Negócio, Leite e Alimentação, cuja estreia acontece na Exponor, entre 3 e 6 de novembro.

“O nascimento do Agri Milk Show era já essencial para este sector que, só na produção de leite, representa 712 milhões de euros a nível nacional, acrescidos dos 1,3 mil milhões de euros do volume de negócios da indústria de lacticínios, que garante 50 mil postos de trabalho”, defende Carlos Diogo, presidente da Associação Portuguesa de Criadores de Raça Frísia (APCRF), co-organizador, juntamente com a IS International, do Agri Milk Show. “O evento vai muito além de uma feira agrícola ou leiteira, ainda que inclua ordenha de vacas ao vivo e o concurso da raça Holstein-Frísia, pois aposta na captação do interesse do público, através de um showcooking, por exemplo, mas também nas vertentes formativa e de divulgação por meio de uma série de palestras e da exposição com forte componente tecnológica. Era manifestamente necessária uma feira mais abrangente e que pudesse comunicar não só com os profissionais, mas também com o público consumidor”, aponta Miguel Corais, da organizadora de eventos IS International e director da feira.

Nesse sentido, e tendo até em conta a divulgação frequente de estudos contraditórios sobre o consumo de leite, uma das prioridades do evento é clarificar as suas qualidades nutritivas e reposicionar este produto na mente do consumidor. Em Portugal existem cinco mil produtores de leite e um efetivo de 234 mil vacas, sendo o total da produção de 1,867 milhões de litros.

Grande parte dos produtores e o universo dos lacticínios e do sector leiteiro estão, por isso, presentes na feira, onde a Proleite, a Agros e a Lacticoop vão organizar ordenha de vacas ao vivo, todos os dias do evento, com um veículo a recolher o leite, criando assim para o público momentos de atração suplementar que são, simultaneamente, lúdicos e didáticos.  Paralelamente, a Escola Profissional de Ponte de Lima realiza um showcooking, onde os principais ingredientes são os produtos lácteos, enquanto a Associação Portuguesa de Criadores de Raça Frísia promove um concurso nacional da principal raça leiteira.

Por outro lado, a estreia do Agri Milk Show, onde são esperados cerca de 10 mil visitantes (o bilhete custa euros euros), destaca-se também por ter uma forte componente agrícola com enfoque na vertente da inovação tecnológica, considerada fator-chave no desenvolvimento e na competitividade das explorações.  Contribuir de forma decisiva para a preparação dos agentes do sector leiteiro e do agro-negócio face à abertura global dos mercados, valorizando a capacidade instalada e o avançado know-how já existente, são igualmente prioridades da feira, cujo programa abrange vários seminários e workshops sobre temas como robotização, reprodução, genética e nutrição animal.  “Queremos fazer da feira uma plataforma de negócios e de conhecimento, com vista ao reforço da internacionalização. Por isso, preparámos também um grande fórum de reflexão e divulgação de inovações em termos de tecnologia, maquinaria, equipamento agrícola, investigação e biotecnologia”, acrescenta Miguel Corais. 

Publicidade

RP implementa a solução de Workforce Management da Tlantic

TomTom Sports lança campanha para reforçar gama desportiva