in

Acionistas aprovam divisão do Grupo Metro

Os acionistas da Metro AG aprovaram a divisão do Grupo Metro em duas empresas “fortes e bem-sucedidas, com um claro foco estratégico”. 99,95% do capital votante representado subscreveu o acordo proposto a 13 de dezembro de 2016.

A aprovação é um marco no caminho para duas empresas independentes, criando um líder grossista e especialista em produtos alimentares sob a marca Metro,e o líder europeu no sector de eletrónica de consumo que opera sob a marca Ceconomy. A cisão permitirá que ambas as empresas se tornem mais rápidas, mais focadas e mais ágeis, a fim de criar ainda mais valor para os clientes. “Duas empresas fortes e focadas estão a iniciar operações. Ambas são altamente dinâmicas e têm o talento necessário para alcançar um crescimento sustentável e saudável de forma independente. Temos trabalhado duro nos últimos anos para preparar o caminho para essa transformação bem-sucedida“, disse Olaf Koch, presidente do Conselho de Administração da Metro AG. “O nosso grossista e especialista em produtos alimentares, a Metro, é um dos principais ‘players’ globais e fornece uma base sólida para expandir o seu negócio em loja e de entrega em todos os 35 países em que opera“.

Pieter Haas, designado CEO da futura Ceconomy, onde estará integrada a Media Markt, acredita que, com este reposicionamento global, está criada a base para um futuro bem-sucedido como um “player” independente. “Ceconomy é a plataforma para conceitos, formatos e marcas de negócios na área de eletrónica de consumo. Estamos convencidos que os nossos melhores anos ainda estão por vir – para a nossa empresa, para os nossos funcionários e, por último, mas não menos importante para os nossos acionistas“.

Na sequência do anúncio dos planos de criação de dois líderes de mercado independentes cotados na bolsa no seu respetivo segmento, no final de março de 2016, e da aprovação do Conselho de Supervisão, a separação organizacional foi implementada em setembro de 2016. Ambas as empresas operam como entidades independentes desde outubro.

No Capital Markets Day, em meados de dezembro, os mercados financeiros e o público foram informados sobre as estratégias e posicionamento das duas novas empresas, bem como as suas novas marcas. Na Assembleia Geral Anual, os acionistas também aprovaram a alocação de novas ações da futura Metro AG, na proporção de 1:1. Como resultado, todos os acionistas manterão as suas ações na atual Metro AG, que será rebatizada de Ceconomy. Receberão uma ação ordinária adicional do especialista grossista e retalho alimentar, então Metro AG, por cada ação ordinária da sua propriedade. O mesmo se aplica às ações preferenciais. Estas novas ações terão direito a dividendos para exercícios iniciados em ou após dia 1 de outubro de 2016.

A future Ceconomy AG deterá uma participação direta e indireta de 10% na futura Metro AG. A Ceconomy AG receberá 1% do capital social em troca da transferência dos bens a cindir; a alienação desta participação está sujeita a restrições fiscais durante sete anos. Os restantes 9% representam um investimento puramente financeiro que está sujeito a um período de bloqueio habitual de seis meses.

Publicidade

FNAC

Fnac eleita pelo segundo ano consecutivo “Melhor Site de Comércio Eletrónico” nacional

Mercado mundial de smartphones aumenta 3% em 2016