in

Abrandamento do comércio eletrónico afeta a Amazon

Foto Frederic Legrand - COMEO/Shutterstock.com

A gigante do comércio eletrónico Amazon viu os seus lucros reduzidos para metade e alerta para um desafiante quarto trimestre, devido aos custos elevados, escassez de pessoal e problemas de abastecimento.

No terceiro trimestre, as vendas da Amazon aumentaram 15%, para 110,8 mil milhões de dólares (95 mil milhões de euros). Isto significa uma redução em 50% da taxa de crescimento. O resultado líquido também caiu para metade, atingindo os 3,2 mil milhões de dólares (2,7 mil milhões de euros).

 

Sem sinais de melhoria

E não há sinais de melhoria: para o quarto trimestre, a empresa espera um crescimento das vendas entre 2% e 4% e um resultado líquido entre zero e três mil milhões de dólares, numa queda acentuada em comparação com os 6,9 mil milhões de dólares alcançados no quarto trimestre de 2020.

As vendas a retalho online estão a abrandar com o regresso dos consumidores às lojas físicas. Além disso, a Amazon teve de fazer investimentos substanciais para fazer face ao seu crescimento durante a pandemia e quase duplicou a sua rede de centros de distribuição. A escassez de mão-de-obra está a conduzir a dificuldades operacionais e a subir os salários. Ao que se juntam as perturbações globais da cadeia de abastecimento e a subida acentuada dos preços dos transportes. Estes quatro fatores em conjunto estão a sobrecarregar a Amazon com vários milhares de milhões de dólares em custos adicionais. “Faremos o que for preciso para minimizar o impacto nos clientes e parceiros de vendas nesta época de Natal. Vai sair-nos caro, a curto prazo, mas é a opção certa para os nossos clientes e parceiros“, afirma o CEO, Andy Jassy.

Publicidade

Black Friday

Black Friday 2021 ainda é uma oportunidade para os retalhistas com a antecipação dos gastos de Natal

Cadeia de abastecimento

98% dos gestores no sector do retalho reporta problemas na cadeia de abastecimento