in

6 em cada 10 portugueses dispostos a pagar mais por moda ética e sustentável

Foto Shutterstock

A Showroomprive.pt  realizou a sua primeira sondagem sobre sustentabilidade, a fim de determinar como é a relação dos portugueses com a moda que cobre as necessidades do presente sem comprometer o bem-estar das gerações futuras. A resposta é clara. Nove em cada 10 portugueses apresentam um autoconceito alinhado com o respeito e a proteção do meio ambiente. Especificamente, 95,18% afirma ter em mente a importância de cuidar da saúde do planeta.

 

Frequência de compra

“Não compre se não precisa” parece ser a opinião dominante, pois 75,21% afirma  adquirir moda somente em caso de carecer realmente de alguma peça de roupa indispensável. Em contrapartida, há quem parece ter datas definidas para efetuar este tipo de shopping: uma vez por mês é a frequência de compra de 18,27%. E há aqueles com uma assiduidade maior: todas as semanas ou duas vezes por semana é a constância de 6,51% dos entrevistados.

Algodão, fibras vegetais, linho ou seda, 56,09% dos portugueses indica haver preferido adquirir roupa fabricada com matérias-primas naturais e de agricultura ecológica. Livre de tóxicos, formulada com ingredientes naturais e veganos ou  cruelty free, 65,16% dos portugueses aposta nesta filosofia do sector beauty.

 

Prioridades

Entre o conjunto de fatores que influenciam no consumo de moda, em quarto lugar, com 16,29% de votos, encontra-se a ecologia e a sustentabilidade. A opção número um, com 58,07%, é o facto de que a roupa seja favorecedora, seguida de boa qualidade da roupa (56,66%) e os baixos preços (51,70%).

Outras questões a considerar são a marca (5,24%), as tendências (4,11%) e a roupa de segunda mão (1,56%).

64,73% está disposto a comprar moda que seja ética, apesar de que ter que pagar um preço mais elevado.

Publicidade

Moka

Intermarché testa a compra sem caixas com o lançamento de cesto inteligente

MyCloma

Parceria Auchan e MyCloma de combate ao desperdício têxtil chega a Gondomar